quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Protesto contra a idiotice contemporânea

Nossa, to achando bem legal essa campanha no facebook, onde você coloca no seu perfil uma imagem de um personagem que fez parte da sua infância e com isso protesta contra a violência infantil...
Quer me ver emputecido de verdade é fazer maldade com criança e eu ver. Fico louco e por esse mesmo motivo já armei uns pequenos barracos ai pela cidade de São Paulo.
Hoje a gente vive num mundo que, de verdade, não vai deixar saudade pra ninguém, ainda mais se levarmos em conta as atitudes do ser humano contra o ser humano.
Hoje todo mundo é individualista, egoista e só leva em conta o que está muito próximo do próprio umbigo. Não tem mais respeito pela vida dos outros, sequer praticam a humanidade, a convivência pacífica. Hoje as pessoas não são capazes de um gesto de solidariedade e, se são, fazem apenas para mostrar aos outros, ou visando unica e exclusivamente algum benefício em causa própria. Claro, essa não é a regra do jogo em 100%, mas cada dia mais vemos que o mundo como deveria ser, está muito longe de ser alcançado.
A gente é diariamente bombardeado com massacres humanos, em menor ou maior escala, seja um pai que bate no filho até o mesmo perder a consciência ou como no caso daquela moça Richtoffen (moça, pq monstra fica horrível de ler...) ou daqueles monstros (nesse caso, siiimmmmm...) do Nardoni. Vagabundo, sem moral, respeito, que não honra nem as calças que veste. Queria ver esse desclassificado tinha coragem de tentar me jogar pela janela, mas, com criança faz... Cria coragem e vem fazer isso com quem reage. Não gosto nem de falar nesse assunto que eu já começo a ficar nervoso e a digitar tudo errado.
Não sei o que leva um lixo desses a cometer tais atos.. mas peraí.. se não tem como criar, educar e ensinar respeito, bondade e acima de tudo que o direito dele acaba quando começa o do outro, não tem porque ter filhos... Muito mais fácil ainda é se valer do poder monetário e comprar os mais caros advogados do país e com isso tentar mostrar ao mundo que aquele ser HORROROSO é um santo, que matou porque Freud não explicou essa parte.
Claro, nossa justiça tem tanta culpa no cartório quanto o desgraçado que faz qualquer tipo de maldade contra uma criança que não tem como se defender. Devia ter uma lei que punisse esse tipo de ato com a mesma sentença.. Olho por olho e dente por dente...
Quando eu comecei esse blog eu queria sempre falar de coisas que me deixam indignado, mas levando isso pro lado do humor e com isso tentar fazer com que as pessoas rissem e tivessem momentos de descontração, mas num assunto desse qual é o humor que dá prá fazer? Não tem como. Pai que espanca filho, filho que mata pai, pai que abusa dos filhos, não tem nada de normal nisso... Pior é ver que os que cometem esses atos tratam isso com uma naturalidade incomum, como se fosse normal tratar uma criança de 2 anos como objeto sexual ou encher a cara de cachaça num boteco fétido e quando chega em casa desce o braço na família toda que tava dormindo e nem sabe porque está apanhando.
Um vagabundo desse, se fosse homem de verdade e tivesse afim de dar umas porradas, já que tava no boteco mesmo, escolhe lá o maior que estiver no recinto e lança logo um copo de cachaça CHEIO na cara dele.. aí sim.. de caboclo pra caboclo... Mas faz nada.. Se pela de medo de homem... aí precisa ir pra casa e bater na mulher, nas crianças...
E esse ditos que se juntam como num cardume de sardinha prá fazer merda por ai? Espancamentos, atitudes de intolerância, covardia pura e simples. E pior, agem como sardinhas mesmo, por que se o satanás mostra os chifre pro lado deles já tratam logo de se esconder no meio da muvuca.
É foda e é foda...
Mas tudo bem, eu cá faço a minha parte... e vc????

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Meu encontro com Deus...


Ai, to eu lá... 40 graus de febre, fui no médico e ele disse que era um principio de pneumonia... Te ai, nada... Fui pra casa, com a cara cheia de amoxilina e com aquela febrinha noturna de 40 graus.... Tomei um banho sofrido, sofrido, cai na cama, lotado de frio e de calafrios. Mas calafrios de verdade, daqueles que fazem a gente encolher o corpo todo.
Desmaiei na febre e suei em bicas a cama toda, que passou a ser uma espécie de mangue onde meu corpo repousava pesado e febril....
Lá pelas 3 da madrugada, senti uma mão na minha testa, como se estivesse verificando a intensidade da minha febre!
Mas eu moro sozinho, não havia ninguém na minha casa e mesmo que alguém fosse lá, eu teria que levantar e ir abrir portão, portas e tudo mais e só se a minha temperatura estivesse tão alta que me fizesse esquecer que alguém foi lá... Mas eu tinha certeza que ninguém apareceu, e as pessoas que poderiam aparecer não o fariam num horário daqueles...
Abri os olhos e dei de cara com uma negra linda, alta, gostosa, com um par de olhos verdes capaz de enlouquecer o mais "Caxias" do monges...
Bom, de bobo eu não tenho nada, e como ela não percebeu que eu havia aberto os olhos e a fitava tentando ver sua alma e subseqüentemente sua intenções, fiquei tirando um proveito básico do carinho que aquela mão macia me proporcionava.
Logo os olhos daquela deusa de ébano encontraram os meus e me abriu um sorriso lindo, com os dentes todos branquinhos, como se nunca tivesse fumado um cigarro ou bebido um belíssimo café... Assim que deu conta do meu despertar, passou a mão que estava na minha testa para o meu rosto e ainda eu me enchi de maldade e já passei a me imaginar tirando a roupa dela com os dentes...
Era uma visão descomunal, uma afro descendente, alta, linda, com as carnes generosas e um olhar inocente, metida num vestido curtíssimo de seda que só ascendia mais e mais a minha vontade de levar logo essa criatura pra cama.
Foda né! Ai a gente percebe que homem ou pensa com a cabeça de cima ou com a cabeça de baixo e me vi questionando o que essa moça tava fazendo na minha casa e resolvi perguntar, na pior das hipóteses, a febre era a desculpa da vez e ela sabia que eu tava com a das mais altas, logo, esquecer uma moça que certamente eu levei pra casa por conta do alta temperatura do meu corpo tava no script.
Questionei sobre a presença dela na minha casa e ainda cuidando de mim e recebi uma resposta intrigante, ela disse:
- Filho, eu sei que você não anda de boa vizinhança comigo, mas diante do seu estado e estando aqui sozinho eu não tinha como não de vir te ver de perto.
Pera lá? Filho? Tratamento carinhoso espero, porque eu já to tendo visões de mim suando em bicas em cima dessa gostosa, perigosamente vestida um vestido de seda branca e solitáriamente perdida, não sei como, admito, dentro da minha casa...
E lá continuou o discurso: Existem muitas formas da gente agradecer pelo que recebe, mas em muitos casos só o fato da gente estar vivo já é uma graça do céu.
Tomar no cú heim! Eu aqui pensando em sexo fácil e essa evangélica (gooostosa, tipo uma Isabel Filardis bonita e gostosa...) fica ai pregando, tomar no cú heim, tomar no cú...
E lá veio de novo: - É filho, sei que muita gente olha prá mim e não acredita no que vê (concordo...) mas sempre que as pessoas criam a imagem de algo que não veem e ela é tão diferente do que eles querem que nem quando veem de fato, passam a acreditar.
E eu num arroubo sexual totalmente perverido disse:
- To ligado que vc tá solitária, mas eu enxergo você, demais até, só não sei onde você quer chegar com essa conversa. Não é mais fácil tirar a roupa, deitar aqui e pronto, simples assim.
Ai a deusa de ébano, disparou a rir, mas era uma risada alta, imponente, daquelas que contagiam todo o ambiente, então sendo assim, ela ria e eu ria, ela ria mais alto e eu ria mais alto... Tava quase um frenesi alimentar de hienas de tanta risada sem motivo.
Assim ela parou, levantou foi até perto da porta (e eu alucinado por aquela bunda pensando, eita le, le... é agora...) e disse num tom asusstador.
- Eu sou o senhor, o Deus dos homens, o que tudo vê e o que tudo sabe...
- Ãh?
- Vim apenas para te ver meu filho e com isso tentar fazer e trazer paz ao teu coração.
- Ãh? Tendi, Deus, mulher, afrodescendente, gostosa que nem uma mulata de escola de samba...
- As pessoas jamais enxergam a verdade, Deveria ver a cara delas quando chegam no meu reino
- Sei, sei... Mas... Senhor, você é bem gostosa né? Tira o foco da salvação...
- Pois é - Respondeu, deu os ombros e sumiu...
E eu lá, queimando de febre, acelerado na oportunidade perdida e decepcionado com o diálogo supra surreal da gostosa que eu tentei pegar e que disse que era Deus.
Deviam proibir essa porcaria de amoxilina...

quinta-feira, 21 de julho de 2011

A humanidade e seus apupos maravilhosos

Ahh seleção brasileira... ts, ts, ts... Ainda não sei porque me espanto com certas coisas... Somos uma nação de pessoas que nem sabem o que fazer com suas garrafas pets ou com seu lixo... Mas todos, sem exceção, depositam as esperanças do futuro da nação nas mãos.. Ops... Nos pés de uma meia dúzia de pessoas que, falemos a verdade, não tão nem ai com a hora do Brasil.
Ainda estão aqui porque é daqui que sai os gordos e assados salários que pagam por luxos e esquisitices... Depois se picam pelo mundo. E quando estão no fim da corrida, voltam prá cá e nos brindam com verdadeiras idiotices, com descaso pelo que ESTÃO sendo PAGOS prá fazer..
Como disse um amigo ironicamente, eles não tem obrigação de treinar, nem de jogar bem, não ganham milhões e ainda precisam de um emprego normal prá poder "subviver". Na época do desafio ao galo lá você encontrava talentos acima de qualquer suspeita, porque lá o futebol era jogado com os ovos e não pisando neles.
Todo mundo diz isso, aquilo, aquilo outro.. Mas na hora que perdem, vichi!!! Sai de baixo. Deveria ser assim com a política (alguém ai disse politicagem???) Em nosso tão emergente país.
Emergente é um termo bem interessante. Só se veem estatísticas de crescimento, de desenvolvimento, presidente voando prá todo lado prá fechar acordos e mais acordos e todos os visitados tecendo centenas e mais centenas de elogios ao país das pernas abertas. Mas efetivamente, mudou o que? Tiro conclusões por mim mesmo, faço parte da população dos não "compositores".
Não componho renda porque meu salário não é lá essas coisas, não componho falta de renda suficiente prá viver mamando nas tetas do governo, e pior não componho renda prá tentar comprar uma casa, ter cheque especial, cartão de crédito, comprar a prazo e mais ainda, não sou casado e por isso, não componho situação legal prá tentar embarcar numa casa do CDHU...
Ou seja, trabalho de oito às seis, de segunda a sexta, como quase todo mundo, ganho um salário (sofrível, diga-se) que me situa onde eu não morro de fome, mas também não faço mais nada da vida a não ser pagar aluguel, que por sinal é bem mais caro que uma prestação de qualquer casa do CDHU e de muitas construtoras por ai. Mas não sou viável prá comprar...
Hoje eu vejo que o povo deveria ter mais paixão pelas coisas do seus país, e não só pelo futebol, se tratassem dos assuntos do país como tratam a liberação da verba para a construção do estádio do Corinthians, esse aqui já seria um pais que trataria melhor ou pelo menos teria respeito por seu povo...
Mas todo mundo diz que não pode fazer nada, claro, pensamentozinho pobre de gente muito mais pobre de espírito.
Legal, hoje podemos ver que passamos de um país onde uma mãe se vê obrigada a alimentar seus filhos com lixo (divida? www.youtube.com/watch?v=1eGhLk2kVzY&feature=related ) - e hoje ela alimenta seus filhos com o cartão miséria bancado pelo governo.
Isso sim é crescimento. Isso sim é dignidade... Eu só queria.... Ops... Foi gol???
GOOOOOOOOOOOOOOOL!!! GOOOOOOOOOOOOOO!!!
Hehehehehee, a gente estava falando do que mesmo???

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Lavou tá novo...

Putz, confesso que os seres humanos devem estar tendo aula de comportamento ou de etiqueta em algum lugar... Eu já estou ficando com medo disso, porque o povo anda tão comportado que nem ta rolando um assunto interessante prá colocar no meu blog, que diga-se, é feito das bobagens humanas, hehehehehehe
Tem umas três semanas que eu não vejo um absurdo bravo ou que me faça perder a gentileza com alguém, isso me faz pensar que, ou o mundo está mudando prá melhor ou então logo, logo vem um enxurrada de idiotices humanas e ai não vou ter palavras suficientes prá postar aqui.... Mas, vamos aguardar prá ver...
Mas me lembrei de um fato INTERESSANTÍSSIMO, sobre uma rapaz que trabalhou comigo há uns 13 aos e hoje, felizmente, voltamos a trabalhar juntos. Vou chama-lo de Euzébio prá manter a integridade do caboclo intacta, mas as vezes ele sai com umas que contando ninguém acredita.
Esse fato se deu quando trabalhávamos em um outro jornal da Zona Norte, ele era o Office Boy e eu o diagramador (mudou alguma coisa??? Nadinha, heheeehehehehe ainda é assim...)
Um dia, a moça que trabalhava comigo entrou numas de sacanear ele. E assim que ele colocou o pé dentro da nossa sala, ela esticou um papel carbono para o lado dele e disse:
- Euzébio, lava esse carbono prá mim.
Engraçado que o termômetro prá sacanagem dele era eu, se eu desse risada ele não fazia depósito em banco quanto mais ir no cartório reconhecer alguma firma, tudo isso por conta de eu estar rindo, sendo com ele ou não, hehehehehe
Logo que ela disse, ele me olhou, e eu SERÍSSIMO, fiz que nem estava vendo a conversa, mas ele arrisco, e até hoje é assim, arriscou prá ver se era sacanagem e com isso começaram um bate boca de leve, ela mandando ele lavar o carbono e ele dizendo que ela estava de sacanagem com ele...
Ai eu interferi, disse que ele precisava fazer isso logo porque ela precisaria do papel carbono prá usar na impressora... Ele meios desacreditando do que eu disse, foi em direção a cozinha, aliás, fez que foi e voltou prá me pegar rindo dele... Só que voltou logo e nem deu tempo de rir... Ele meio convencido que o assunto era sério marchou em direção a cozinha. E eu e ela roxos de vontade de rir, esperando ele voltar todo azul de lá...
Logo ele voltou, todo malandro, cheio de gírias e num gingado que faria qualquer malandro carioca morrer de inveja. Entrou pela sala, olhou bem nos olhos dela e disse:
- Tá me achando com cara de idiota. Não lavei o carbono não, passei só um pano molhado!!
Acabou o respeito por ele ali mesmo, hehehehehehe

segunda-feira, 6 de junho de 2011

De pressão


Tristeza é um sentimento que acomete milhões de pessoas no mundo. Alguns sabem lidar com isso, gereciam a fase triste, passam por cima e saem do outro lado ilesas e muitas vezes mais fortes que antes. Já outras...
Conheci uma pessoa que além de ser muito melacólica tinha também um desvio (IMENSSSSOOOOO...) de conduta. Tudo era motivo prá tristeza e pior sem o menor tipo de gerenciamento dos próprios sentimentos.
Tipo assim, chorava porque tava cortando cebola e a cebola fazia ela chorar, ai chorava duas vezesl literalmente! Uma vez vi ela chorando assistindo o programa da Xuxa... ai perguntei o que estava acontecendo e fiquei maravilhado ao saber que a Xuxa fazia ela chorar! Fui muito solidário, já que a Xuxa me fez chorar demais tb.. principalmente quando ela acha que é do gueto, negrona e fica pagando de MC no programa.. ai coloca uns Rap que nem os Rappers gostam e pronto..
Toma no cú , viu....
Uma vez atendi o telefone e era essa minha amiga "depre", já logo vi pela quantidade de soluços antes do alô, que vinha lááááá das profundezas da tristeza dela que a situação dessa vez era séria. Tentei falar com calma e baixo (éééé... fala alto com nego em plena crise de depressão prá ver o que acontece, huauhauhauhahua Passei muito por isso, to ligado como os doidos se comportam, hehehehehehehe)...
Logo eu soube que a alma dela estava despedaçada (palavrinha que depre gooosta que só...) que definitivamente o planeta terra não era prá ela e uma vez que ela tinha vindo prá cá (de onde???) para sofrer era melhor que tudo se acabasse.. Nossa, juro prá você que entrei em pânico, eu já estava prá lá de acostumado com as tristezas dela, mas assim, deprezão, pensando em se suicidar já era um pouco demais...
Fui jogando palavras ao vento com ela no telefone e já mudei meu curso direto prá casa dela. no trajeto ela chegou a desligar o telefone umas duas vezes e isso me deixava mais aflito, sei lá o podia rolar, mas ela ligava de volta e eu ia falando, tentando fazer com que ela falasse prá poder amenizar alguma coisa e dar tempo de eu ir até lá, e eu tando lá... suicídio eu garanto que não ira rolar... Porque eu já ligava pro Samu e metia ela numa camisa de força até a vontade passar.
Consegui chegar a porta do prédio e o porteiro que é meu velho conhecido já ligou lá em cima e disse que eu tava na portaria... Ai o José enfiou a cabeça pela janelinha e disse:
-Ela tá perguntando o que você quer?
Ahhh!!! Vai pro diabo que te carregue, aproveitei que tava mesmo com ela no telefone e descasquei o verbo prá cima.. to aqui na linha com ela chego na porta e vem perguntar o que eu quero!
Ai o José (porteiro) já se ligou qe a coisa tava dificil, desta vez e me deixou entrar, subi, a porta do ap tava aberta, entrei e ela tava sentada no chão, do lado do sofa, onde eu deduzi que tinham acabado as forças, mais um passo e meio e tava sentada no sofá... mas não chegou lá... Ouvindo Nighwish - Walking on the Air (depreeeeee.....) e aos prantos... Ajudei-a a se levantar, coloquei sentada no sofá, e tentei saber alguma coisa do que tinha acontecido... Ela me olhou e disse: Vai lá na cozinha e olha a merda que eu fiz. Isso chorando aos prantos!!!
Eu já vi a cena do assassinato, eu ia entrar na cozinha e ia dar de cara com a familia dela toda morta sendo cozida num panelão ou então com o namorado novo pendurado pelas peças intimas no porta copos!! Tomei coragem e fui lá... Abria a porta e olhei prá dentro. Sabe o que tinha lá??? Nada.. absolutamente nada.
Olhei setecentas e cinquenta e duas vezes pela cozinha. Nada! Ai fui na sala onde e disse que não tinha nada lá.. Ela levantou e se dirigiu a cozinha e eu fui atrás... quando chegou lá ela foi até o fogão estendeu o dedo em direção a uma panela (olha, ela tava igualzinha aquela menina do filme "O Chamado", hehehehehe) eu me aproximei e olhei prá panela e disse: que que tem?
E ela desatou a chorar dizendo: Essa merda de vida, eu sou uma inutil.. não sirvo nem prá fazer feijão!
E tava lá o feijãozinho todo queimado... Aquilo me deu uma raiva tão grande, mas tão grande que se ela não pulasse do prédio e mesmo jogava ela lá embaixo. Respirei fundo e fui embora prá não cometer um crime.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Baixa gastronomia


Eu sou um entusiasta da baixa gastronomia.
Digo isso porque é como colocam o nome, mas prá mim é gastronomia e ponto final. Eu gosto mesmo de cachorro quente, miojo, churrasquinho, pão com mortadela e essas coisas. Aprendi desde cedo que o que é bom prá gente são as coisas que nos fazem bem e não ir num restaurante chique (metido a besta, diga-se...) e pagar sabe-se lá quantas centenas de reais prá comer um prato sujo de uma coisa verde e um pedaço de carne que nem sabor tem.
Eu prefiro pegar essa grana e ir uma padaria e pedir logo um X-TUDO no prato e me sentir um viking comendo com a mão e mais, quer me ver feliz, deixa eu numa padoca com uma coxinha, um café com leite e o vidro de molho de pimenta por perto... Nossa.. Isso sim é felicidade instantanea.
Claro que como um bom comedor (Goumet é o cacete...) sei apreciar as coisas caras tb.. Adoro presunto de Parma, mas se vier num pão francês lotado de requeijão cremoso Poços de Caldas é o deleite do momento, hehehehehehe.
Dia desses vi uma reportagem sobre o que os ricos comem (ricos comem???) e tava lá um sorvete com pó de ouro... Custava a bagatela de 500 DÓLARES A BOLA!!!! Faz idéia de quantos potes de 2 litros do Häagen Dazs dá prá comprar com essa grana??? E mais, pó de outro tem gosto de que??? Se fosse bom eu quando criança tinha comido a aliança de casamento dos meus pais, como não comi, lógico que não tem gosto de nada.
Ai junta um grupo de pessoas ditas chiques e gastam uma grana legal comendo pó de ouro.
Ahh vai tomar no centro da bunda... O problema desse povo é quanto eles estão juntos, em separado devem comer mortadela do café, no almoço e na janta , mas quanto junta, sai de baixo. Fica um tal de pose prá beber café Kopi Luwak que custa só R$ 25,00 o xícara pequena, será que eles sabem que a porcaria saiu do cú dum macaco, muito feio por sinal, comeu aquele café, cagou, os caras limparam e agora ele tá lá.. todo gostosão bebendo aquela coisa? Ou seja tomando café que saiu de um cú de origem duvidosa.
Bebem a tal da champagne que não tem gosto de nada e ainda é ruim, fico até vendo um cara desses, montado no dinheiro, enchendo a cara de champange só prá dizer.. ô, ô, ô,... champagn quando sobe é um perigo. Pra que???? Prá justificar as merdas que ele vai fazer logo mais. Pq se quer fazer merda, enche a cara com Tatuzinho, Pitu, Oncinha... Ai justifica de verdade já que a alma sai do corpo.
Vinho? Ai... vinho chileno, austriaco, chines, mongol, paquistanes... Que isso... Esse povo não sabe o tanto que é bom um vinho NATAL (ou um JP.... sem marketing nesse, uhaahuauhauhahuahu) com soda limonada, vinho licoroso Caete com gelo.. Ai sim.. Não quero nem saber de beber aquelas porcarias amargas que eles chamam de vinho e se dizem Sommelier... Um profundo conhecedor de vinho que indentifica os aromas de madeira, flores e etc, etc e tal no vinho. Vai tomar banho na soda, cacete... essa porra é prá beber ou prá ficar achando fundinho???
Perdem o maior tempão porque quando o bagulho é caro você não pode sentar e parecer um guerreiro mongol que acabou de tomar a cidade, precisa fazer pose prá beber o vinho, pegar os talheres certos prá comer cada um dos pratos servidos e ainda fazer cara de quem teve uma visão da Virgem Maria quando vai tomar o café que saiu do cú do macaco láááááá na Somália! E pagar muuuita grana pro isso? Cade o tio do churrasco? Tá me dando fome essa merda toda....
Vou te falar viu.. Eu ainda sou um saboreador incorrigível de um belíssimo pão com ovo frito e tomate ou até mesmo de um miojão com requeijão e presunto. Agora fica nesses buffezinhos ai.. comendo mal pagando caro só prás pessoas acharem que meu coco é mais cheiroso? Tô fora....

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Insurreição

Meu, que merda é essa que o povo tá fazendo na cidade de São Paulo? Cara, cada lugar que você anda tem lixo espalhado pra todo lado, o povo agora resolveu que lugar de bugiganga é no meio da rua... Dá pra fazer um catado geológico no meio das porcarias que você encontra na calçada.
Dia desses tinha um sofá podre.. mas podre mesmo, bem no começo da minha rua... Fiquei imaginando que diabos uma pessoa tem na cabeça de ter um sofá naquele estado dentro de casa, o bagulho fedia a mijo e comida estragada, sem falar que a higiene com que ele era tratado era nula! Fiquei até imaginando se os marrons que tinha pelo que sobrou do tecido dele era marrom mesmo ou se o dono dele só relaxava na hora de fazer um número dois...
Vou colocar uma situação só prá você tentar localizar a história que passou na minha cabeça vendo aquele sofá.
Você chega, pela primeira vez, na casa da sua namorada, a mãe da criatura, toda solícita te atende com muita educação e te empurra pra dentro sem a menor cerimônia. Você chega lá na sala e tá lá o sogrão, de bermuda larga, daquelas que ficam aparecendo os ovos do sujeito pela perna da bermuda, camiseta surrada, aliás que veio da guerra, toda larga e furada até na costura... Com a barba por fazer, sorvendo uma gelada Crystal e assistindo o Datena!
No meu caso, sou arisco, sairia logo correndo nos primeiros minutos. Aí o cara te olha com cara poucos amigos e te manda sentar... Só que o sentar nesse caso é naquele sofá que tá lá na ponta da minha rua, mas você não sabe de nada, ainda. E se senta... Logo que a região glútea se encontra com o sofá, como seria natural, sobe aquele ar que fica acumulado entre as espumas do estofado, sobe pelo meio das suas pernas e vai parar aonde? Bem no meio da sua cara.... Lógico o primeiro pensamento é: Eu devia ter trocado a cueca, essa aqui tá foda... Até porque você ainda não se deu conta que o problema não é você e sim o sofá do sogrão.
Aí você tenta disfarçar pra que ninguém perceba que aquela fuafa tomou conta da sala logo depois que VOCÊ chegou lá. Claro, ninguém percebe nada até porque aquele móvel tá lá há tanto tempo que ninguém mais se incomoda com o cheiro, passa a fazer parte do cotidiano deles.
De repente a sogra volta, com um copão de limonada e uns bolinhos (de origem duvidosa, diga-se) e deixa bem ali na sua frente. Logo de cara você já vê um pêlo de gato colado no copo da limonada e percebe que o copo, além do pêlo, tá meio rançoso, igual o prato com os bolinhos! Aí seu cérebro entra em pane: se eu comer isso vou passar mal, pior se eu me mexer pra pegar alguma dessas coisas, o "ventinho" vai sair de novo e vão perceber que minha cueca tá nas últimas.
Faz idéia? O ser humano é assim, se culpa por tudo num primeiro momento e demora prá perceber que não é ele.
Aí você lá cheio de culpa, tenta um movimento ligeiro pra pegar o bolinho, claro, você vai ter que comer pelo menos um e, claro, pra empurrar ele pra dentro vai dar um golão na DELICIOSA limonada que tá lá dentro do copo. Nesse momento acontece uma das coisas que eu mais admiro no ser humano. PANE POR AÇÃO E CONSEQUÊNCIA POR ASSOCIAÇÃO.
PANE POR AÇÃO: O sujeito tá lá e faz um movimento rápido pra pegar logo os dois em cima da mesa de centro, o ventinho básico do sofá se espalha levando a morte por todo o ambiente e na volta ainda reforça o futum, até porque você não se sentou, você se jogou no sofá. Logo o sogrão te olha bem na cara, mas olha porque ele é o macho dominante e precisa te colocar no lugar. Você já logo pensa que ele percebeu as condições da cueca que você tá usando e o olhar foi de reprovação.
CONSEQUÊNCIA POR ASSOCIAÇÃO: Aí você enfia a o bolinho na boca e bebe a limonada num gole só. E só aí se lembra do pêlo do gato, que... Não tá mais colado no copo. Aí o cérebro ensaia diante dos teus olhos a situação de tudo que tá dentro do seu estômago. Ai o corpo faz o quê??? Associa e manda as defesas, defenderem.. Como? Preciso dizer mesmo?
Logo que os intestinos fazem um ruidinho que só você ouve, você tem certeza que é ele te avisando que o pior vem vindo.
E você lá sentado no sofá xexelento que o sogrão, logo, logo vai desovar na ponta da minha rua. suando em bicas, morrendo de vergonha e mais ainda com o velho te encarando sem dizer uma palavra. Aí vem aquela pressãozinha na escotilha (é, dizer cu no blog é foda...), acredita-se que seja só uma flatulência leve, mas diante da situação, melhor ir devagar, mesmo porque o cheiro que já tá na sala, aquele que você julga que vem da sua cueca, vai encobrir o que tá chegando agora. E se põe meio de lado e relaxa... E sente aquele molhado miserável encharcar o já pútrida cueca. Afinal peido é gasoso, se sentiu molhar, melhor nem tentar consertar. Diante do estampido inicial o corpo acredita que a hora de se livrar do bolinho e da limonada é essa... Aí começam as contrações, cólicas, gases, suores... Num ímpeto você se levanta dizendo que precisa ir, mas que uma outra hora você volta. Só que nessa de levantar meu querido amigo, a gravidade se junta ao processo e...
Você lá em pé, no meio da sala do sogrão, pela primeira vez na vida, todo cagado! E ele lá... Do mesmo jeito, sentado, ovos pra fora da bermuda, a crystal esquentando na mão, te encarando sem dizer nada, mas desta vez indignado porque você se aliviou no meio da sala de estar dele!
Claro, morrendo de vergonha, sai correndo da casa, jura por tudo que é mais sagrado nessa terra que nunca mais vai passar por aquela rua e some na escuridão da noite.
Aí sim o sogrão se mexe... Levanta com cara de bravo para o lado da filha, diz quatro mil, seiscentos e noventa e sete palavrões, sem repetir nenhum. Pega o sofá com ajuda do filho mais novo, põe no carro e dispensa o dito numa rua qualquer do bairro.
Agora que você já imaginou essa situação, toda vez que ver alguma coisa jogada na rua, tenta imaginar como aquilo foi parar ali, mesmo indignado pela sujeira você vai sorrir.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

O Ônus da prova

Esse post ia se chamar o ânus da cobra.. Mas por questões de etiqueta, deixei prá lá...

Dando razão a máxima que diz que: um dia ruim começa na véspera. Acordei logo cedão e já percebi que aquele bifinho básico que comi tinha feito um estrago monumental nos meus ácidos úricos (é, assim mesmo com SSSSSSS,.. no plural...)

A equação é bem simples: bifinho básico+ácido úrico+"EU" = GOTA!

É essa merda cristaliza nas juntas e dói prá cacete, sei de casos de pessoas que nem conseguem por o pé no chão. Mas eu sou peão, doendo ou não doendo tenho que ir trabalhar.. Fui na marra... Quase me arrastei até o ponto de ônibus, mas fui. Desci no terminal e lá estava o busão, vázio, acelerando prá sair... Sai correndo (correndo, uhahaauhauhauhuah) prá consegui pegar a condução.

Engraçado foi a corrida, tentando não apoiar o pé no chão, fica uma coisa meio paraolimpica, onde todo mundo para seus afazeres prá olhar o pobre coxo tentando não se atrasar. Ninguém é capaz de dizer: olha, lá vem a porcaria do coxo correndo, espera ele!!! Ninguém é capaz disso... E prá me vingar desses, quando vejo um ser humano normal correndo prá não perder o que quer que seja, faço que nem vejo, tipo não ajudo mas também não atrapalho...

Fora que o desconforto de estar em pé e com o pé zuado ainda tem o povo que desconhece a máxima que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. Desci no ponto e fui em direção ao serviço, nem 60 metros de um no outro. Mas quando você tá com a gota atacada, 60 metros adquirem ar de 600 com barreiras...

Cheguei lá suando e já vi um monte de caras de desespero me olhando!

Claro, só podia ser bucha! Nem bem coloquei o pé dentro do prédio e já vieram todos na minha direção pedindo pelo amor de todos os santos da Bahia e da Africa que eu olhasse a internet porque não tinha sinal.

Primeiro: Olhar a internet é meio surreal, no máximo eu posso ir ver se o servidor tá certinho.

Segundo: 7:45, vai se danar, tenho 15 minutos do mais obsoluto ócio e não deixo de aproveitá-los ao máximo.

Terceiro: Cadê o diabo do técnico que leva uma grana prá cuidar das máquinas?

Quarto: Alguém ligou pro provedor?

Quinto: Se foder, sou design gráfico não tecnico.

Mesmo assim subi prá minha sala e nem bem entrei e já vi o problema da humanidade. Na verdade era quase uma diagrama maçon.

E percebi logo que simples mortais, usando menos que 10% da sua cabeça, não resolveriam de pronto a questão. Diante do impasse e já precisando trabalhar fiz o que seria mais correto a fazer.

Liguei o servidor e o roteador na tomada e num passe de mágica tudo estava resolvido.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Sexta-feira, álcool, simpatia e melancolia


Sexta-feira enfiei o pé na jaca! Enfiei não! Já sai de casa calçado nas jacas. Pé direito, pé esquerdo, com um símbolo da Nike e tudo.
Acho que por ser a semana do Dia das Mães eu já tinha comigo uma certa nostalgia, melhor, uma melancolia e essa fez com que o 0,75 do olho direito e o 0,5 do olho esquerdo desaparecessem. Fiquei observador demais, escolhedor demais e pior, auto-critico demais.
Já vestido, banhado e calçado nas espinhosas frutas sai pelo mundo. Sem destino, fui indo, entrando, vendo, saindo, entrando e novo, vendo de novo e saindo. Acho que eu nunca sai tanto na vida, em 70% dos locais que visitei só me lembro de estar indo embora, claro, em cada um mandava uma cerveja ou alguma coisa prá dentro.
Parecia que eu estava procurando alguma coisa ou alguém. Sei lá! Fui indo e entornando a cachaça. Fiquei nessa ai umas três horas e te juro, nunca vi tanta gente besta e sem conteúdo num espaço de tempo tão curto.
Tá, sei que minha vida não é uma ilha de inteligência e bom papo 24 horas por dia. Sei até que sou meio que atraído prá gente besta e burra. Mas como um entusiasta do sexo fácil e grátis isso acaba se revertendo em meu favor. Há vai me dizer que as moças mais... Digamos... Devagar, não são as mais fáceis de pegar? E o melhor, essas são as que mais acham que são o Kant de saia, então compadres, duas doses de vodka e meia hora de papo prolixo tá garantido o sexo fácil e grátis.
Bom, tava eu lá circulando, bebendo, quando achei um lugar interessante, no meio da muvuca dos barzinhos, tinha um oásis, não tão cheio, bem servido de presença feminina e pensei: Vou ficar por aqui, se não der nada o ponto de ônibus e logo ai na porta!
Como eu tava mesmo numas de ficar sozinho (melancolia, lááááá atrás, lembra?). Queria sentar lá e pedir um drink e nem dar bola pro mundo. Bom, sempre que você quer ficar de boa aparece alguém prá tirar seu sossego.
Nem bem sentei no pico já ouço uma voz láááá do outro lado do bar gritando:
-JP!!!! Cara o que você tá fazendo ai sozinho? Vem sentar aqui com a gente!!!
Olhei para trás e dentre as mais ou menos trinta pessoas que estavam no bar eu não identifiquei uma viva alma se quer. Fiquei olhando prás pessoas, mas nada, ninguém, nem uma cara conhecida. Ai um sujeito lá no meio do bar começou a agitar os braços e gritar: Aqui meu, chega ai JP!!!
Olha, que a Nossa Senhora dos Amigos Temporários me perdoe, mas eu jamais vi aquele sujeito na minha vida. To ligado que esquecer um conhecido é mancada, mas esquecer um conhecido prá mim é fato.
Mesmo assim peguei minha bebida e me dirigi a mesa deles. Farta por sinal, dois caboclos e seis moças!!! Dadas as probabilidades matemática até mesmo um pescador destreinado como eu, se dava bem, já que os peixes estavam pulando prá dentro do barco.
O cara levantou, me abraçou, me puxou prá mesa, me apresentou prá todo mundo e eu lá com cara de paisagem sem saber quem diabos era aquele cara. Mas logo imaginei que alguém ia dizer o nome dele e tava tudo certo! Me acomodei e fiquei lá com eles.
Ai o cara desatou a falar de mim. Pior, prá ele eu só tinha qualidades e virtudes o que me fez ter certeza que ele não me conhece tanto assim, hehehehehehehehehehe
E disse que eu era um cara legal, inteligente, que tocava e tava gravando com umas bandas legais, que tinha dois filhos, morava sozinho...
E eu lá todo sorrisos pensando: Dois filhos, moro sozinho, bandas legais gravando!
FODEU! passado, presente e futuro. O cara sabia um monte de coisas sobre mim e eu não tinha a mínima idéia nem do nome dele e muito menos de que planeta ele tinha vindo.
Depois que ele bebeu mais umas doses de tequila, ele disse a primeira coisa sensata. Olhou bem fundo nos meus olhos e disse: JP. você é meu amigo e amigo meu não paga nada nessa mesa. Aliás, aqui ninguém paga nada. Hoje a banca é minha.
Olha, sujeito legal esse, honrando a nossa velha amizade que eu até então nem sabia que existia! Eu tava começando a gostar desse meu mais novo amigo de infância.
Lá pelas 23 horas (já de coco cheio, diga-se) disse que precisava ir embora, senão não conseguiria chegar em casa (peão+busão=EU!). Quando uma morena bonita de nome Carol disse prá que eu ficasse que ela me levava embora!
Olha a matemática de novo! Bebida grátis, antigos amigos que acabei de conhecer, carona com uma moça bonita. Mesmo que não rolasse em um beijinho com a Carol e eu fosse prá casa comer um miojo feito no microondas eu já tava no lucro!
Ficamos mais uma hora por lá, sorvendo tudo que caia na mesa e decidimos ir embora. O cara (ninguém tinha chamado ele pelo nome ainda ou o álcool me impediu de ouvir...) pediu a conta, pagou e saímos. E toma despedida prá lá, pra cá, troca de telefones, e-mails, fax, considerações finais e etc... Quando ele ia indo embora, amparado pela namorada começou a gritar na rua:
- JP, caraio! O primeiro cd do Heresia 666 (www.myspace.com/heresia666oficial) é meu heim! Faço questão! E batia no peito, apontava prá mim e gritava: É nóis, é nóis!
Bom, passado meu momento BBB (claro, até os manobristas me olhavam como quem tava tentando descobrir de que canal de TV eu era, uhauhahuauhauhauha).
Sai voando da vista do povo puxando a Carol pela mão (Ah... Carol....) e numa rua perto ela sacou a chave do carro de dentro do bolso (iiiisssooooo.. do bolso! Foi a primeira mulher que vi que não tinha uma bolsa pelo menos...) acionou o alarme e imagina minha cara quando uma Captiva Sport, novinha, deu sinal de vida do outro lado da rua. Já olhei em volta prá ver se mais alguém estava indo embora também. Ninguém, o carro era dela mesmo. Em segundos fiz uma conta cruel! Se eu , depois de pagar as contas, juntasse todo o dinheiro que ganhei na vida e desse de entrada, como o meu salário, nem assim eu conseguiria financiar uma barca daquelas!!! Foi um pensamento engraçado mas real...
Pé pesado o da moça, 25 minutos do bar até a porta da minha casa! Não vi o velocímetro abaixo de 100 nem prá passar em farol fechado. Mais 40 minutos de amassos básicos na porta de casa e boa. Ela foi embora... Eu nem insisti prá entrar, não tinha nem seis horas que eu tínhamos nos conhecido. Sei lá se sou antigo, mas achei melhor não passar do ponto DESTA VEZ! Mas com certeza nos falaremos, claro! Bonita inteligente e o melhor, boa de papo. Certeza que esse não é o tipo de mulher que dá conversa prá mim, mas como partiu dela, tá valendo.
Entrei em casa e vi que aquele sentimento ainda me incomodava um pouco. Percebi que mesmo tendo sido uma noite legal, tava faltando algo ali prá completar. Olhei prá minha casa, vazia, as coisas todas do mesmo jeito e no mesmo lugar que eu tinha deixado e aquele eco insuportável onde você dá um passo e escuta dois, acende todas as luzes por onde vai passando e depois volta prá apagar, mija com a porta do banheiro aberta, larga a tampa do vaso levantada, toma banho e não enxuga o banheiro e não tem ninguém lá prá reclamar.
Foda isso!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Choveu em SP???


Choveu em SP
Ahhhh!!! Como eu gosto de São Paulo quando chove, a gente transparece sentimentos muito interessantes, acho que mais por estar mais frio e a cidade se enche de nostalgia e solidariedade.
Hoje, prá variar começou a chover às 6 da manhã, e eu tinha certeza que quando fossem 9 horas ela pararia, retomaria sua atividade ao meio dia, pararia às 13:30 e só voltará às 18 horas. Ou seja, até do céu o que desce é prá infernizar a vida do pobre.
Veja meu caso, saio da cama às 5:20, tomo banho, blá, blá, blá... Saio tomando chuva na cabeça, vou pegar ônibus num local onde sequer existe um ponto de ônibus coberto, e quando ele resolve aparecer vem cheio. Hoje deixei passar 2 ou 3 porque era impraticável entrar no coletivo.
Engraçado que os motoristas sabem que não cabe nem uma alma mais no busão, mas eles param no ponto, os "humanos", se dependuram nas portas, porque eles tem que entrar de qualquer jeito, em contra partida, os que estão dentro não movem um musculo seja prá frente ou para trás, ai o coletivo fica lá parado, resumindo: nem caga, nem desocupa a moita...
Ai vem um com a lotação quase esgotada, mas que dá prá entrar e ir apertado, em pé, sem posição e o melhor da viagem, cercado de gente besta prá todo lado. Incrível a capacidade desse povo de dizer as coisas mais ridiculas nos momentos menos apropriados.
Hoje teve uma senhora que disse para um rapaz: Moço, você tá me apertando, dá um jeito ai... E claro o cara analisou a possibilidade de se dependurar nos canos e ficar lá até o fim da viagem, até porque lá era o único lugar livre... Como não dava ele retrucou: Quer conforto, compra um carro... Que a tia logo tratou de não deixar barato: Eu comprária se seu pai pagasse. E ele novamente disse: Vai lá no cemitério e pede prá ele, pela sua educação você é bem o tipo dele... E quando for por favor dá uma limpadinha na lápide...
Puta que pariu, o pai do cara morreu? A cara da tia foi a melhor, diante da cara de censura do povo ela ficou lá.. APERTADA, diga-se, mas de boca fechada. Adoro essa sutilieza que o ser humano adquiriu prá resolver seus problemas com estranhos. No mundo animal e mais civilizado, heheheheheh
Ai teve um cara que tava com a namorada (mulher, noiva, amante??? sei lá) Mas o típico caso perdido, feios... Uma dupla de gente feia, feitos um para o outro, porque se não for assim, ela vai pro convento e ele pro circo. O cara não perdia a chance de ficar apertando aquela magrela e ficar cerciando todo mundo que estava por ali, achando que todo mundo quer pegar a mulher dele, era um tal de mexe prá cá, mexe prá lá.. Bastava estar ali perto que o sujeito (Deus, como era feio...) saia dando bundada nos homens no entorno. Cacete, será que ele não se liga??? Do jeito que tava apertando a mulher, já, já ia rolar o efeito "pasta de dente" e ia esparramar o pouco conteúdo que ainda tinha pelo busão todo...
E outra, entendo o amor, o ciume, mas vamos combinar o único atrativo daquela mulher eram os brincos de ouro em forma de coração, de resto (de resto? não se aproveitava nada...). Nada prá pegar, nada, nadinha mesmo. E julgando pelo pouco diálogo que ouvi, não rola nem mesmo uma conversa mais interessante, vai ser novela das oito e o novo capítulo de Bete a Feia pro resto da vida... Teve até ter um bafo de cobra, mas eu achei isso dos dois, então.. entre eles, tá tudo em casa.
Mas hoje tava cheio de "MULHER PIRÂO DE PEIXE", cada uma mais gostosa que a outra, você olhava e lá estão os peitões, os bundões (nããããããããão, estavam sozinhas, to me referindo a região glútea mesmo...), cada cinturinha assim... perfeitas.. Ai você olha na cara da mulher! Feia, mas feia tipo, pecado de família daqueles que o grupo familiar não comenta nem entre quatro paredes. Sabe como é? Sabe sim, to ligado que sabe, heheehehehehehehe.
Até ai, feia, gostosa, de madrugada.. Gato pardo... ninguém viu, dei um mole e encarei a fera, que me sorriu de volta. Ai desisti de vez! O piano tava desafinado, e as poucas teclas que ainda restavam estavam severamente avariadas. Ai não dá... Feia tudo bem, a gente bebe umas e passa direto, só se preocupa com isso no outro dia... Mas sem dentes não dá! Só que ela achou que a minha recusa de encarrar ela devia ser timidez, se meteu no meio do povo, apertou, esfregou, fez de tudo até que parou bem do meu lado.
Pensei, se eu continuar fazendo de conta que não to vendo, passa batido e ela desiste. Foi só terminar o pensamento e essa mulher passou a mão na minha bunda! Dentro do ônibus! Sou arrisco, fiz que nem percebi e fiquei lá com cara de natureza morta. Ela insistiu, passou a mão na minha bunda de novo, ai eu olhei, olhei feio e novamente ela sorriu. Caralho! O inferno deve ser assim. o diabo te encarra e passa a mão na sua bunda, ai você faz que não vê ,ele passa de novo e sorri prá você. Se o busão pegasse fogo eu jurava que tinha ido prás terras de belzebú.
Bom, olhei feio prá feia, mas ela ficou lá. Já imaginei que precisava de um plano e de uma estratégia, se eu olhei feio ela passou a mão na minha bunda se eu sorrir ela me deixa pelado na situação. Tratei de empurar o povo um pouco e fui indo na direção do fundão. Bom, que eu sendo alto, seguro no ferro em cima e o cotovelo já vira uma arma pronta prá disparar. O Povo vê meu cotovelo chegando na cara deles e já saem da frente por conta. Fiquei lá e não teve como ela vir atrás. Por sorte me dei bem e me livrei do encosto. Até que senti uma coisa pegando na minha perna, senti uma, duas, três, ai olhei prá ter certeza.
Caralho! Peguei a condução que ia pro congresso das feias e desdentadas, Só que essa era a mais horripilante de todas, a sagrada diva da Sociedade Internacional das Mulheres Feias e Desdentadas do Planeta Terra. Sabe aquelas loiras sarara, que você não sabe se é loira ou se foi desbotada na cândida? Tinha um olho preto e um cinza e um deles insistia em olhar em volta enquanto o outro me tinha na mira, dentes só se estivessem dentro da bolsa, os braços pareciam ganchos. quando eu olhei prá ela, já que ela tava me puxando pela calça numa educação exemplar ela disse.
- Mocinho, quer que eu segure sua mochila!!! Claro que não quero, enlouqueceu! Eu agradeci e disse que não precisava pela mochila estar leve. Tá bom! Ficou por isso mesmo. Mas claro que vira e mexe ela me dava uma esbarrada básica, mais no intuito de me fazer olhar prá baixo e é claro, ela SORRIA! Foi assim uns 10 minutos até que a primeira feia conseguiu um espaço prá se projetar do meu lado de novo. Deve ter um código de honra entre as mulheres da Sociedade Internacional das Mulheres Feias e Desdentadas do Planeta Terra, porque mesmo uma me cutucando e a outra insistindo em se enfiar debaixo do meu braço não teve um assédio mais forçado.
Logo a feia que tava em pé, me olhou dentro dos olhos e disse: Calor né?
E eu com toda a educação que mamãe me deu fiz logo que não era comigo. Mas a feia sentada já tratou de ser social e disse... Nossa tá demais e aqui dentro mais ainda. Tô sentindo um calor que sobe, sobe, sobe... Mas falou isso olhando prá mim... Tratei logo de dar o sinal e descer, por isso não ia dar nada certo...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

O Pinto: claro que você pensou que é fácil!


Sim, o título desse texto é esse mesmo, até porque vou tratar de um assunto delicado para os homens e impensável para as mulheres. Hoje nós vamos falar do pinto!

Eu tô sempre lá no blog da Samantha (http://www.programaestressadas.blogspot.com/) e sempre vejo a mulherada reclamando que os homens isso, aquilo. Complicado mas a relação homem/mulher é assim desde o tempo das cavernas, um reclama do outro, das atitudes, das situações que vivem juntos.

Sim, porque vocês mulheres (e alguns homens tb...) acham que é fácil ter um pinto, pois saibam que não é não. O pinto foi desenvolvido para executar tarefas muito básicas e é anatomicamente construído para tais finalidades. Mesmo tendo diversos modelos, tamanhos, circunferências e cores, ele tem que ser harmonioso com o portador do instrumento... Ou você acha normal ver um cara de 1,40 de altura com um pintão de 30 centímetros, ou um cara de 1,90 com um pinto de 6 cm centímetros?

Tenta imaginar o baixinho andando e, de repente, ele tem uma ereção involuntária! Cada passo que ele der, vai pisar no coitado e tropeçar... Sem falar que é constrangedor essa ereção pública, não tem o que esconder. Já o mais alto vai sofrer de outra forma, pois na hora de dar aquela mijada, vai escorrer tudo pelos dedos. Então, homens, se você tem o pinto que tem é porque tem que ter o pinto que lhe convém (...rimazinha podre essa, mas confesso que foi sem querer....)

Outra! Frio? Você acha mesmo que pinto gosta de frio? Gosta nada, o pinto odeia o frio, tanto que quando a temperatura baixa ele trata logo se se encolher e se enfiar no saco. E aí sim ele fica bonito de ver! Mijar no frio é um tormento, mas para homens mais ligados na própria anatomia, basta estar como o pensamento em dia. Lóoogico, você fica pensando numa gostosa da TV e pronto, ele se anima um pouco e tá resolvido o problema do encolhimento.

E por falar em gostosa da TV, pinto tem vida própria. Acreditem no que eu digo. Se esse sujeito resolve cumprir suas tarefas... Que bom! Porém, quando ele resolve não cumprir... Aí o bicho pega!

Um vez eu estava em casa, de férias, e resolvi assistir a programação da manhã e da tarde na televisão. Tô eu lá, todo descontraído quando, de repente, quem parece? Sim, senhoras e senhores, Ana Maria Braga (com aquele papagaio insuportável, diga-se...) lá no programa, destruindo um por um os neurônios das donas de casa. Mas lá pelos 3/4 do programa o pinto se levanta, fica em riste, e fica assim durante um tempo enorme. Claro, como o pinto é independente e cuida da própria vida, deduzi que ele estava vendo televisão, uma vez que não tenho o menor tesão por aquela senhora.

As mulheres sempre acusam o homem de ser egoista, insensível e tudo mais, mas vendo por outro lado a culpa é única e exclusiva do pinto.

O pinto não tem ligação nenhuma com o cérebro masculino, são acessórios independentes que funcionam aquém um do outro e, para não dizer que não existe algo em comum entre os dois e não ser injusto com os estudiosos do assunto, devemos dizer que eles, sim, compartilham o mesmo combustível, que é o sangue. E dada a quantidade necessária para que funcionem, podemos notar que quando um está em funcionamento o outro está stand-by.

O pinto consegue passar a vida toda olhando para a esquerda ou para a direita, e se você tenta mudar de lado, ele se revolta. Incrível a capacidade dele de ser imutável, quando você troca ele de lado parece que a coisa incha, toma proporções enormes e qualquer movimentozinho é motivo pra ele querer escapar e ir pro seu lado de origem, aí como tá pra lá e quer vir pra cá, mas o espaço não deixa, fica um bolo em frente a calça causando constrangimento no portador.

Eu até entendo certos melindres do pinto. Queria eu ver você ser colocado no escuro, só sair pra ver a luz duas ou três vezes por dia (mais que isso procura um urologista porque a próstata tá te fodendo!) e quanto chega em casa, dependendo do dono, pega ele pelo pescoço e balança até que o coitado não se aguenta e vomita. Alguns simplesmente resolvem enfiar o pinto em qualquer orifício que eles mesmos acham que cabe.

Tem até um caso engraçado que o cara, pra inovar na masturbação, enfiou o pinto numa garrafa pet (deve ter ficado com tesão pela cinturinha da garrafa ou então Deus me livre de pensar na mulher desse cara. Caraca! Trocar a mulher por uma coca-cola! Vazia ainda? Não consigo entender... Voltando, enfiou o pinto lá e se satisfez. Aí tentou tirar — Hauhauhauhauhauahua! Não saiu. Ficou lá entalado porque o fluxo de sangue entrou, o cara ficou bombando láááá na garrafa e depois que estava feliz e satisfeito o pinto não saiu. Claro! Tava inchado, cheio de vácuo, não ia sair, o cara entrou em pânico e correu pro hospital, o que já mostra que é mais idiota do que o que parece. Caralho, o cara tava comendo uma garrafa pet, entalou e foi a público pedir ajuda? Caiu na rede, virou o furor da internet por dias!

Aí quando eu disse lá em cima que ou funciona o pinto ou funciona o cérebro vocês não acreditaram...
Bom pra terminar eu gostaria de pedir a vocês mulheres (ou apreciadores do pinto em geral) que dessem uma chance ao pinto, porque o pinto é um injustiçado. Peço que revejam seus pré conceitos e preconceitos sobre ele.

E, só pra ter certeza que vocês que estão lendo esse blog, não se esqueçam disso: fiz questão de dizer a palavra PINTO muitas vezes assim você deixa ela lá no subconsciente e quando menos esperar vai estar digitando "Pinto" lááá no Google...

quarta-feira, 20 de abril de 2011

COISAS DE CASAL III

... duvido que nunca aconteceu com você!
Haroldo e Afrodite em mais uma saga...
 
  • ELA: D-U-V-I-D-O você descobrir o que eu mudei em mim!
  • ELE: Duvidar prá que? Detergente é Ypê! Que besta você to vendo ai seu cabelo com as pontas cortadas.
  • ELA: Errou engraçadinho... só mais uma chance!
  • ELE: E se eu adivinhar o que eu ganho?
  • ELA: Ganha omeu amor e dedicação para sempre!
  • ELE: Ahh!!! Então já sei! Fez aquela depilação que eu gosto.
  • ELA: Por acaso eu estou pelada para CHUTAR??? A minha mudança está VISÍVEL!
  • ELE: (sussurando) Visível onde??? Fodeu Agora! - Bom amor, Não sei, você me pegou... Mas já digo que tá lindo assim.
  • ELA: Lindo???? LINDO????? Você está de brincadeira, né?! Ficou uma merda!!! Até você está me zoando...
  • ELE: Quem tá me zoando é você.. não to vendo nada... Na verdade nesse pouco tempo que estamos falando eu já analisei todas as possibilidades, claro, você não pecebeu porque o meu cérebro é muito rápido. Enquanto você tá ai parada eu ja analisei que você tá um pouquinho mais bronzeada, mas claro, deve ser porque foi fazer alguma MUDANÇA EM VOCE" e foi de camisetinha. Ai vi que seu cabelo tá diferente e como vocês sempre cortas 0,000001 mm do cabelo e acham que isso é significativo para um homem que tem que se preocupar com o sustento e a dignidade da família. Vi tambem que hoje você tá com aquela sandália rasteirinha que te dei semana passada, assim não podia ter ido fazer as unhas do pé... Então, se não é roupa, cabelo, unha, bronzeamnto, deduzi logo que era a depilação, até porque você mesma prometeu fazer.
  • ELA: INSENSÍVEL! Eu te odeio! Já basta o dia difícil que eu tive... você sempre estraga tudo! To cansada de tentar te agradar... CANSADA! Você nem me nota... posso fazer a mudança que for.. você NUNCA REPARA.. fica chutando.. para ver se acerta... mas nunca notou que eu cortei um PEDAÇÃO do meu cabelo.. que a minha unha quebrou e por isso tive que pintar de cor clara... NUNCA!! Eu sei.. você não me ama mais, né!? Pode falar...
  • ELE: Meu amor, eu sei que você pensa que eu não ligo, eu ligo sim prá você, gosto de te ver bonita, sorrindo. Não tem prazer maior na vida que eu ver bem a mulher que eu amo e escolhi pra viver a minha vida. Mas puta que o pariu, dá prá parar de drama.. tudo e não me ama, não me ama.. AMO E PONTO FINAL!!!! Agora diz qual é mudança que vai mudar o eixo da terra....ELE: (sussurando) Visivel onde??? Fodeu Agora! - Bom amor, Não sei, você me pegou... Mas já digo que tá ótimo assim.
  • ELA: Você sabe que falando assim eu me derreto toda.... Nhoimmmmmmmm.. Poxa amor, não reparou que eu mudei a cor do rímel???? De preto usei o marrom.. mas ele está deixando os meus cílios TODOSSSSSSSSSSSS empelotados... estou horrível!
  • ELE: Não reparei não. Nossa.. Me perdoa. Mas ficou muito bom, não disse que tinha ficado lindo em vc? Até pq tudo fica perfeito em você, ainda mais quando se derrete, vem aqui que vou brincar com você um pouquinho....

terça-feira, 19 de abril de 2011

Insensatez molhada


Insensatez é como educação, ou a gente tem ou não tem. Ao contrário da educação que pode mudar vidas, insensatez vem de berço, vem dos DNA’s de cada um. E pode apostar, uma grande parcela dessa humanidade que aí está nem sequer sabe procurar essa palavra no dicionário.
Tava eu um dia desses fazendo meu rolê diário (leia-se: indo a pé pra casa...) quando de repente, despencou uma chuva daquelas, das boas mesmo, tinha trovão, relâmpago, vento forte, tão forte que tava a impressão que chovia de lado. Tratei logo de me abrigar numa banca de jornal que tem ali pelas imediações do shopping Santana. Nem bem parei e já descolei companhia, apareceu uma gostosa (e bota gostosa nisso...), trajada numa roupa de academia, com um par de coxas, assim... sem palavras. Era o espetáculo do pecado carnal!
Só que veio acompanhada dum cachorrinho, labradorzinho básico, em pé tinha um metro e setenta e pelo menos 50 quilos. Claro, labrador, tô de boa, se for brincalhão, melhor ainda.
E claro, o cachorrinho ficou ali na minha órbita, afinal a novidade era eu, dei trela pro cachorro que já se abriu todo, era um tal de pula pra cá, pula pra lá, cheira, esfrega, e tudo mais, claro numa maldade humana que só vendo.
No meio dessa de ser social com o bichinho, a dona já largou mão, viu que não tinha jeito, ele gostava de bagunça e eu tava dando conversa pra ele. Depois de uns não pula no moço (Moço é foda! Até sonho com isso, às vezes...), não faz isso, não faz aquilo, deixou de lado e ficou lá contemplando a chuva e eu claro, munido de todo radar masculino possível, já atrelava a brincadeira ao papo informal. Tipo: Nossa como ele é grande! Grande mas um bebe. Olha como brinca!
Na minha cabeça aquela moça já tava despida, afinal roupa de academia só serve mesmo prá proteger do vento porque aos olhos e intenções ela só faz aumentar os batimentos cardíacos; e olha, cá entre nós, pelo que eu tava vendo, arritmia ali era nada perto do que podia fazer... Hehehehehehehe!!!
Cinco minutinhos de prosa e eu já sabia o nome do dog, da dona, onde morava, estado civil, jurídico, profissão e tudo mais... Não tinha prá onde correr... Ou era meu questionário ou a chuva (torrencial...) e claro, tinha lá uma abertura pro assunto fluir. Era tipo ping-pong: você trabalha em quê? Sou vendedora de artigos esportivos e você? Eu sou designer gráfico. E assim sim a conversa ia, mas ia bem.
Durante os mais sagrados 20 minutos da minha vida, não visualizei um só motivo pra que eu me preocupasse. Chuva forte, no meio duma avenida, todo mundo entocado dentro do busão, do carro ou já em casa. Sorrisos e sorrisos pra todo lado. Até que ouvi atrás de mim alguns passos apressados, respiração ofegante, chegou na banca (literalmente) e ficou. Limpou a cara com a camiseta (adivinha se não era do timão... Hauhauhauhahuauhau!) respirou fundo, se situou e lá no inconsciente teve certeza que ia me empatar.
Já saiu dizendo: Que chuva né?
E eu: igual às outras, a diferença é que estamos nela.
Ele: Nossa que cachorrão! É fêmea?
Ah! Vai tomar no cu! Cachorrão femêa? Desempata aí, ôh, miserável! Se tava na chuva tinha que continuar lá, além do mais cheguei na banca primeiro, uso capião, já ouviu falar? Aí eu imaginei que ia ter que partir pra guerra descarada. Se ferrar! Já tava molhado mesmo, custava seguir em frente e ir embora? Afinal com certeza a esposa e os 8 filhos dele deviam estar esperando.
Aí o sujeito quis se situar, mas coitado, deu até dó! Logo de cara percebi que inteligência e planejamento não era a dele, até porque ele insistiu no riscado do CACHORRÃO FÊMEA... E perguntou de novo. Eu já tava com a língua em brasa pra dar uma paulada no sujeito... Nem precisou! A Deusa do Sexo fácil já emendou que o cachorro era menino e que se a intenção era pedir um filhote nem ia rolar porque o cãozinho era castrado.
Lóóóóóóógico que meu ego foi em Saturno e voltou! Afinal eu, na mesma situação , não tinha levado um toco no meio da chuva. Hehehehehe! Aí o cara atacou de novo, disse que não era nada disso e que não reconheceu que era macho porque ele era gordinho...
O cara partiu da máxima de que gordo não vê o pinto e aplicou isso no mundo animal.Te falar, viu! Deixa ele... Que se enforca com o próprio cinto... E eu lá, né... tirando a maior onda com o cachorro. O cara tomou o segundo toco e se afastou um pouco, afinal é um gaivota, que nem caga e nem desocupa a moita... Ia ficar lá até 2012 e com certeza o mundo ia acabar e ele ia continuar lá... Já o cãozinho , muito meu amigo, cismou de cheirar o cara. Ficou claro que ele tem medo de cachorro. Eu também tenho, admito, mas... Pô!
Um labrador não morde nem um bife e esse era especialmente manso, brincalhão...
A cara do cara quando o cachorro enfiou o focinho na virilha dele foi a melhor, tipo ejaculação precoce com dor, o cara se afastou e o totó continuou indo atrás dele, devia ter alguma coisa ali que fez com que o canino insistisse na perseguição, eu tentava segurar (Vai nessa! Hauhauhahuahuahuahuauhahuauhauha!), ela tentava, mas ele insista em enfiar o focinho no cara que em pânico dizia: Ele não morde ,né? Só quando fecha a boca... Claro, deveria ter aproveitado a máxima e tirar proveito dela e ficar calado.
Engraçado que cada vez que o nariz do cachorro se afundava nas partes púdicas do gaivota ele estremecia dum jeito que parecia que ia levantar as mãos ao céu e gritar 15 dias seguidos implorando para que não parasse... Hauhauhauhauhahua.!Tive até a impressão de ouvir um sonzinho do Restart rolar nessa parada... E a cada tremida básica do cara eu visualizava o Programa do Gugu e o povo cantanto: Vai, lacraia! Vai, Lacraia!
Definitivamente esse gaivota era fêmea ou tava bem encaminhado... E quanto mais ele tentava se desvincilhar, mais o dog insistia de ir atrás, assim: quero saber o que tem aí e ponto final. E nesse vai e vem, comigo, heróicamente, tentando segurar o labrador que era grande (Hauhahuauhahuauha! Segurar, é?) O cara resolveu que o destino dele era mesmo na chuva. E seguiu o caminho dele.
No final ficamos lá um tempão ainda, mas rindo muito da situação que o cara se meteu, estava claro que ele não tinha muita intimidade com animais (eu também não tenho, de alguns eu tenho verdadeiro pavor. Hehehehehe!) e que o cachorro com certeza tinha aflorado o lado mulher dele... Não é todo dia que você é brindado com um "quase boquete" canino no meio da chuva...
Ah!!! A Lilith dos prazeres proibidos se ligou que eu tava deixando o cachorro usar e abusar do cara e chegou mesmo a dizer que o cachorro só ficou em cima do cara porque ele tava acelerado e eu tinha acelerado o cão. Eu não disse nem que sim e nem que não, mas o sorriso na minha cara não me deixava mentir...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Coisas de Casal II

Mais uma incrível história de Haroldo e Afrodite! Aproveitem...


 
ELA: Amor tá machucando...

ELE: Se eu for mais devagar eu durmo...

ELA: Você queria dormir mesmo, só falta ajeitar e aprender a dormir fazendo. É sempre assim, na hora do meu prazer tudo é correndo

ELE: Já vai começar a reclamar?! Se for me avisa.. que eu paro agora... Fica quietinha e relaxa... tá bom assim???

ELA: Imagino que esteja mesmo, até porque você só tem que meter essa porra em mim e tá tudo certo, só o que eu quero é prazer, de preferência prazer prá nós dois..

ELE: Mas para de reclamar... uma hora você diz que prefere rápido... outra diz que está machucando... não posso enfiar o dedo porque você diz que machuca... tento escorregar lá para trás e você grita... não sei como você quer o oral...

ELA: Amor, você precisa aprender a ler os sinais. Na dúvida você pode perguntar, mas pergunta com jeito prá não estragar o clima. Agora memso você pode ir bem devagar, assim me sinto desejada .

ELE: Ler sinais??? Eu só quero chupar a minha mulher! Será que é possível?

ELA: Claro que é..,.Você tem que me chupar no começo, até que eu fique bem lubrificada, depois você pode enfiar um ou dois dedos

ELE: Tá... mas você quer que eu cuspa??? Para te lubrificar????

ELA: Não agora! Pode estragar o clima... Depois dos dedos, você pode perder um tempo nos meus peitos e no meu pescoço... e passando a mão pelo meu corpo todo

ELE: Por acaso você está me dizendo o que eu tenho que fazer???? MULHER MINHA NÃO MANDA
 EM MIM!! Eu sei beeeeeem como te deixar louca!

ELA: Eu sei amor, só tô te dando as dicas prá você me deixar mais louca ainda, assim pode fazer o que quiser comigo, mas se não fizer direito vai ser assim, rapidinho sempre...

ELE: Tudo o que eu quiser???? Então, sabe aquela sua amiga?? A loira... hummmmmmmm

ELA: O que quiser comigo!!! É surdo? Eu bem desconfiei que você tinha olho grande prá cima dela.. Saiba que ela é casada tá, e muuuuito bem casada, com o César, aquele moreno de olho azul, corpo de Deus Grego, E dizem por ai que dá duas sem tirar de dentro.

ELE: Ué.. você disse o que eu quisesse.. precisa explicar melhor... aí evitamos perder esse tempo... Ele é gay;... só você que não percebe... casou com ele porque é RICO!! Dar duas?? HÁ HÁ HÁ.. só se for dentro do negão da academia que ele treina...

ELA: O QUE VOCÊ QUISESSE COMIGOOOOO! TÔ tentando explicar, tô tentado deixar nossa vida sexual mais prazerosa e você só fica pensando na Cláudia, aliás, na bunda da Cláudia. E o César não é gay não. E se aquilo é não gostar, imagina se gostasse... Você tem que se concentrar em mim. Quando tá com muito tesão goza rápido, quando tá sem pique goza rápido. Olha que você já foi melhor heim.

ELE: Ahhhhh então isso é uma reclamação?! Claro que é rápido... você começa a querer mandar! Casou comigo.... precisa se acostumar com o meu jeito.. e eu não vou ficar aqui te lambendo enquanto você nem, se quer, fala que você é minha puta! Vira logo de 4... cansei...

ELA: Eu sabia, quando eu fico chupando essa porra 20 minutos sem parar você gosta, agora prá pagar um boquetinho prá sua esposa nada, diz que é ácido, que tem gosto de casca de limão, VAI SE FODER! Não vou virar porra nenhuma. Cai comer o cu da sua irmã!

ELE: Respeita minha irmã! Ela é uma mulher de família!

ELA: E eu não sou???? Quer saber??? Vou me virar sozinha.... eu ganho mais... fica assistindo e vê se aprende...

ELE: Provocação né? Sabe que fico com tesão quando você faz isso... Lembra daquele dia na escadaria do prédio?

ELA: Claro que eu lembro.. foi a nossa melhor transa... aliás... o que você acha de irmos para lá????

ELE: Agora? 3 da madrugada? E se pegam a gente? Não podemos ir na cozinha e trepar olhando pro prédio vizinho? Quem sabe eles estão trepando também, como daquela vez?

ELA: Tsc Tsc Tsc.. parabéns! Hoje é o dia em que você vai bater punheta sozinho! Boa noite!

ELE: F.D.P.!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

PQP o circo chegou!!!



Esse post vai ser curto, até porque a história nele contida aconteceu como um relâmpago, mas deixou cicatrizes muito profundas, hahahahahahahaa
Assim, eu fui com uma amiga (Eugênia, meu amor incondicional...) Até uma agência de automóveis perto da Barra Funda, na Fiat Amazonas, mais precisamente, ela estava querendo trocar de carro e essas coisas que só mulher entende...
Fui com ela lá porque o vendedor disse que tinha lá o carro dos sonhos dela! Balela, conversa de vendedor, e eu já desconfiava disso, eu também estava pilhado com o horário, por tinha ensaio com o Heresia666 (www.myspace.com/heresia666oficial - olha o marketing, hehehehehehe) lá na Vila Madalena, se bem que com o horário folgado e mais a carona dava certinho prá chegar lá na hora certa...
Bom só que chegamos lá e não tinha carro dos sonhos merda nenhuma, era só um xaveco furado do cara prá fazer com que ela fosse lá e assim empurrar qualquer coisa que ele tivesse na loja. Claro, nem rolou e ele prá não perder os dois bestas que já estavam lá disse que ia "consultar o sistema". Eu já sabia que ai sim vinha o embasso, que ele ia dizimar as forças dos dois pobres mortais sentados na cadeira e ia aproveitar a confusão mental prá enfiar qualquer fiatezinho goela abaixo na gente.
Cansei de esperar. Cansei dum jeito que eu não aguentava nem mais ouvir a voz do vendedor, sai de fininho e fui lá prá "ala dos fumantes". ou seja, fui prá fora da loja, tava um dia bem legal, com sol, um vento bom. Parei lá, acendi o cigarrinho (chupeta do diabo, como dizia minha tia, uhauhahuahahauhauha) e fiquei lá vendo transito feminino passar... A loja estava fazendo uma promoção daquelas que enchem o semáforo de pessoas, distribuem bexigas e panfletos e causam a maior muvuca no trânsito, quase em frente,
Nem bem cheguei na metade do cigarro, ouvi uma voz do além que me dizia:
- Vai pegar o ônibus, gatinho?
Nessa que fui virando a cabeça prá localizar a voz que falou comigo, vi mesmo que tinha um ponto de ônibus bem em frente da loja e eu estava parado ali. Mas qual foi a minha surpresa quando olhei na direção da voz, nem nos meus mais terríveis pesadelos eu conseguiria uma imagem tão chocante quanto aquela. Bem ali, parado, me encarando como se esperasse uma resposta prá pergunta: UM PALHAÇO, NEGRÃO, GAY E DE PERNAS DE PAU!!!
Nunca na minha (desgarrada) vida eu ia imaginar que ia levar uma cantada de um palhaço, gay, negrão e de pernas de pau... Foi a visão do inferno literalmente, até porque ele insistia em sorrir prá mim com aquela boca toda pintada e a cara toda maquiada... Olha, fiquei em estado de choque, não sabia o que dizer, o que fazer, nada, absolutamente nada, ele me olhava e eu olhava de volta, sem acreditar.
Num impeto, lembrei da Eugênia (meu amor incondicional, acho que já disse isso...) dentro da loja, e sai andando em direção a ela, sem dizer uma palavra ao palhaço, gay, negrão e de pernas de pau.
Ainda bem que eu a encontrei logo de cara, parei do lado ela me olhou, e como me conhece bem, disse: aconteceu alguma coisa?
E eu , ainda assustado disse: Não, tá tudo bem.
Fiquei traumatizado, nunca mais fui num circo na vida...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

COISAS DE CASAL...

Essa semana, eu e a Samantha (www.programaestressadas.blogspot.com) começaremos uma saga de conversas do cotidiano de HAROLDO E AFRODITE.. um casal normal..mais normal do que você imagina..


ELA: Sabe amor, sábado é aniversário da minha avó.. precisamos comprar um presente... o que você sugere? Pensei em dar um conjunto da calçolas, sabe!? Mas eu não lembro onde comprei

ELE: Sábado? o que tem sábado. E não sei onde você vai parar, não sabe nem onde botou suas calcinhas. Olha lá, olha lá!! Juiz ladrão...

ELA: Como assim??? Presta atenção no que eu estou falando! Sábado é aniversário da vovó... e eu queria a sua ajuda na compra do presente... afinal, sábado é um dia especial, né!? Nossa noite de sexo selvagem.. e já que estaremos lá comprando as calcinhas.. bem que você podia escolher um novo conjuntinho de lingerie para mim, né?

ELE: Verdade, sábado é nossa noite de sexo, bom, claro que faço questão de comprar novas lingeries prá você. Afinal nosso sábado é sagrado... HuUmmm! Não dá prá já ir fazendo o ensaio geral agora?
ELA: Então desliga da TV!!!!!!

ELE: O que a TV tem com isso... Poxa.. .só tem eu e vc aqui, deixa ela ligada. Depois fica dizendo que eu não escuto e não faço nada do que você dz. Por falar nisso sábado não é aniversário da sua irmã? Hummmm, quase foi gol....

ELA: Então quer dizer que a TV é mais importante do que eu??? Eu vou ligar para a sua mãe.. e dizer que vamos doar essa porcaria de TV para a igreja que ela frequenta... não quero mais ter que dividir o espaço com ela!!! ALOOOOOOOOOOOOOU é aniversário da MINHA avó!

ELE: Eu não disse que a TV é mais importante que você, se quiser vamos pro quarto e pronto, assim você deixa o eletrodoméstico em paz. Na igreja da minha mãe ninguem assite TV. Pega uma cerveja prá mim?

ELA: Disse sim! Eu ouvi! Eu deveria ter escutado a minha mãe, casar com você foi um erro! Você vai ter que escolher... EU OU A TV?! A cerveja ainda não tá gelada!

ELE: Já vai começar... Não sei que milagre não falo que só lembrei do aniversário da sua irmã sábado por eu peguei ela antes de namorar com você. Como não tá gelada? Tá lá fazem uns 40 minutos... Já vi tudo, colocou na geladeira embaixo. Porra! Sempre falo prá colocar no freezer.. F-R-E-E-Z-E-R!!!

ELA: Vai começar a gritar????? Fazer escândalo??? Vai? Vai? Vou chamar a polícia! Claro que pegou a vaca da minha irmã.. ela dá para qualquer um mesmo! Deveria ter casado com ela.. você seria o maior corno do bairro... não pensa que eu esqueci as suas palhaçadas, viu?! Vou ligar já para a minha avó e dizer que não vamos à festa! E a culpa será toda sua! Vai carregar esse peso para o resto da sua vida! Coloquei sim na geladeira... no freezer estão as comidas... porque você não me ajuda em nada.. tenho que lavar, passar, cozinhar para você! E você não quer nem me comer direito! Prefere a TV!

ELE: Que ingratidão, quer comer agora, posso? E não fala assim da sua irmã, ela deu os tropeços dela, mas hoje é uma mulher direita, só casou com um babaca que não serve nem prá corno. Vai ligar prá sua vó??? Liga lá, uma vez vi ela de calcinhas até hoje não durmo direito por causa disso. É claro que eu te ajudo, Quem e que tava trocando lâmpadas queimadas ontem, plena 10 horas da noite??? E o jantar do seu aniversário, heim??? Lembra??? Fui eu que fiz... Rola um boquete agora????

ELA: Tomou jeito??? Você acha que eu não percebo como vocês se olham?! Eu sei que ela fez na cama coisas que eu não faço... mas eu sou a sua mulher... eu também sinto vontades.. e você NADA! Só pensa em me comer de 4! Você sabe que dói! Se você deixar eu enfiar um vibrador em você, eu deixo você me comer de 4... antes disso nada feito! E não fale assim da minha avó.. foi ela quem me educou... você precisa é agradecê-la por eu ser a mulher que eu sou hoje! Boquete??? Hummmm então desliga a tv!

ELE: Viu ai como nem presta atenção em mim? A TV tá desligada faz tempo. Melhor você não fazer nada não, vc não para de falar e é feio falar de boca cheia... Eu sabia que aquela véia tinha culpa nesse seu gênio dificil... Mas poxa, prá que esse clima. Não dá prá gente resolver isso conversando?

ELA:Não fala assim da minha avó... estamos conversando... só que você não me ouve.. só pensa em boquete, cerveja e futebol! Não sei mais o que fazer para te reconquistar... estou aqui.. pelada... querendo dar.. e você nada!

ELE: To esperando o boquete... Ai rola um clima....

ELA: Você sabe que eu não me excito assim tão fácil.. você precisa me envolver... não funciono assim.. tem que ser no clima...

ELE: Amor, você sabe que eu amo vc...

ELA: Ama mesmo??? Quanto?

ELE: Olha ai. Quanto? Amo e pronto... Porque tem que ter medida. Olha até pensei que a gente podia ir comprar um presente prá sua irmã no sabado, se der a gente vai até na sua avó comer bolo de fubá, faz tempo que não vamos lá...

ELA: Tá vendo.. você não me ama mais! Pensei que você fosse dizer "eu te amo de uma estrelinha até a outra estrelinha... lá longe...." mas não! Não quero mais ir no aniversário da minha irmã.. quer dizer... da minha avó!

ELE: Aí sou eu que crio caso... Uma hora vcs querem tudo noutra não querem nada.. Tá ai meu futebol passou e eu não vi, a cerveja já congelou, não tem mais a festa da sua irmã.. Ai quando sua avõ ligar, vc diz que eu te maltrato, que leva uma vida desgraçada... Difiil conversar com vocês mulheres. Nunca sabem o que querem e quando querem, em 5 minutos não querem mais, olha.....

ELA: Você me maltrata mesmo. No incio do nosso casamento havia alegria, planos, orgasmos multiplos...
ELE: Mas você me confunde... diz que eu não posso te comer assim, nem assado.. não posso te chupar de forte, nem de leve... não sei o que fazer para te agradar!

ELA: Claro... ou fica o dia todo em cima ou acaba em 10 segundos, ou é com força ou de leve, eu sou uma mulher, preciso de carinho, palavras doces, não de um touro reprodutor fungando na minha nuca..


ELE: Mais carinho?? Mais palavras doces??? Poxa, eu faço tudo isso... mas quando eu vou passar a mão com carinho nos seus seios você grita dizendo “tira a mão daí... porque os bicos estão doloridos..” ai eu passo a mão na sua bunda e você grita “eu nãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaao vou dar ela para você! Tira a mão daí!” ai eu vou te chupar e você diz “não percebeu que eu ainda não estou lubrificada???? Preciso de estímulos...” não sei o que fazer!

ELA: Amor vamos pro quarto, quero fazer um boquete?

ELE: Agora eu perdi o tesão... prefiro assistir o compacto do jogo...


semelhante, não!?

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Carnaval em Salvador


Dividi esse em partes, ia publicar um de cada vez, mas resolvi por tudo ai, e estando dividido você não se cansa quando estiver lendo. - JP²

Mar revolto - Parte 01

Hoje vamos falar dos prazeres da vida, de viajar, de comer bem, de visitar lugares indiscutivelmente lindos. Quem não gosta de passar uns 15 dias por aí, pelo mundo, só vendo a vida passar, sem maiores problemas, os 15 dias da vida inteira?
Quando chegou minha vez dos 15 dias já estava com tudo planejado, passagem comprada, ida e volta paga, hospedagem confirmada e paga, rolês e baladas todos programados... Fiquei o ano todo pagando e planejando a viagem, tomei muita vitamina, complementos alimentares, sem tomar friagem, dormi bem... Tudo para que na data eu estivesse muito bem e na fissura desse rolê que era pra ser o rolê da minha vida.
Entrei de férias, peguei o avião e desembarquei em Salvador. Saí do aeroporto e dei de cara com um táxi vazio, só faltou ter meu nome na plaqueta... E o motorista??? Gente boa, cabelo rasta, falava bem... Tava mais pra um vendedor de seguros. Me deu dicas de todas as baladas que bombam em Salvador até as mais seletas, onde só vai o povo bonito e cheio da grana... Que não é meu caso, nem em um nem no outro. Mas, com o bolso cheio (juntei um ano, lembra-se???), na escuridão da balada.. Vixe! Quero nem ver...
Desci no hotel. Estava num astral tão bom que, fora a corrida, ainda dei R$ 50 de caixinha pro cara. Ele me deu um cartão e disse: Patrão, se precisar de mim, to on-line 24 horas. Diz aí! Me senti o patrão mesmo...
E o hotel? Hotel Atlantic Towers Salvador, um luxo só! Até as camareiras do lugar são bonitas. Tava me sentindo um duque de tanta mordomia e conforto.
Como eu havia chegado pela manhã, tratei logo de ver o cardápio do almoço, tinha que estar firme e forte pra primeira noite em terra soteropolitana... Havia uma infinidade de coisas comestíveis e eu, na condição de pobre profissional, liguei na recepção, pedi pra falar no restaurante e tratei de saber o que seria sugerido pelo chef para o almoço. Então, como o sotaque paulista entrega o cara, se ligou que de Bahia eu não entendia nada, explodindo no conhecimento uma ou outra música da Ivete Sangalo. O cara despachou o cardápio regional e disse que se era pra experimentar e se deliciar, eu deveria comer uma MANIÇOBA. Claro que eu perguntei do que se tratava, sou paulista desconfiado, hehehehe. Ele me disse que era uma feijoada típica do Pará, que era muito melhor que a feijoada típica... Eu, todo turista, encomendei o prato, deitei naquela quadra de futebol society que chamam de cama, liguei a TV de 8.467 polegadas e fiquei lá...
Meio dia e um... Toca a campainha da porta. Era o rango... Já pedi logo um suco de MANÁ-CUBIU com abacaxi. Um não, dois! Diante de uma MANIÇOBA, só um suco de MANÁ-CUBIU com abacaxi.. Tá pensando o quê? Sei das coisas... Faminto! Essa era a palavra que rosnava pela minha cabeça desde que desliguei o telefone... Diante da visão do rango espetacularmente colocado em cumbucas e generosamente servido, senti que devia ter avisado o cara que era só pra mim e, a julgar pela quantidade de rango, ele pensou que era pra algum congresso. Mas tava ali, se sobrasse tava na conta já... Aliviei o sentimento de culpa e passei tudo que cabia pra dentro, comida pesada. Logo veio o sono. Briguei com ele uns 40 minutos pra não dormir de barriga cheia, depois me entreguei e, olha, até sonhei...
Acordei lá pelas 8 da noite pensando em pedir o jantar... Quem sabe agora eu não pedia uma GALINHA DE CABIDELA ou uma MOQUECA DE ARATÚ e mais um suco de MANÁ-CUBIU com abacaxi ou, quem sabe, com limão, maçã, com leite ou um de qualquer coisa com qualquer coisa, tava no preço mesmo...
De verdade, a mente do ser humano é algo impressionante. A velocidade com que processamos as informações e mandamos nosso corpo executar certas tarefas desmontam até o mais moderno dos processadores.
E foi nessa hora que percebi a informação, processou, mandou pro HD, mandou um ctrl+S e... Fodeu!!!
A MANIÇOBA deu sinais verdadeiros de que jamais iria dar espaço pra GALINHA DE CABIDELA e muito menos se socializar com a MOQUECA DE ARATÚ... E mais, o diabo do suco de MANÁ-CUBIU com abacaxi estava do lado dela, e diante do quadro de insatisfação com meus pensamentos, tomou forma a maior revolução, de passeatas a confronto direto, me senti em meio a revolução de 32 com o almoço metendo bala pra todos os lados e eu, sem ter onde me esconder, fazia zig-zags tentando fugir das balas perdidas... Assumi a postura de governador do Estado e resolvi enfrentar o problema, fui até o gabinete despachar um ofício para que os amotinados fossem contidos e enviados vaso abaixo.
Ledo engano! Quem achou que a postura de ditador e chefe do estado seria capaz de resolver esse "pequeno" incidente? Foi tentar dispensar a multidão e ela, em fúria, se voltou contra mim... Tive cólicas tão intensas que hoje sou um entusiasta do parto sem dor. Nove horas após a ingestão do suculento almoço, ele não dava sinais de que haveria de começar a digestão em algumas horas... Tava lá, tudo parado, no mesmo lugar e não se ouvia uma notinha em Dó de um início de alivio, era apenas o peso e os gases que se acumulavam pelo estreito espaço que ainda existia no estômago.
Tentei pôr a cabeça no lugar e fiz o que seria mais certo: liguei na recepção, expliquei a situação e pedi um antiácido ou qualquer coisa milagrosa que pudesse aliviar. Senti um ar de descaso e tive certeza que fui motivo de risadas das pessoas que me atenderam. Pessoas sim, porque passei por mais de 5 até chegar em alguém que se dispusesse a me ajudar. Logo chegou ao quarto uma senhora de uns 875 anos e meio, vestida com o uniforme do hotel adaptado ao estilo das baianas de escola de samba, acho que ela saía dali e ia vender seus acarajés com a facilidade de nem trocar de roupa.
Entrei em pânico quando vi que ela trazia um copo daqueles de milk shake cheio até a borda de um líquido verde e pastoso.. Imaginei que aquilo quando entrasse iria se associar ao que já estava lá e certamente a morte seria lenta e dolorosa... Gritei (gritei mesmo!) pra ela nem entrar que eu ia perder o juízo e descer o braço nela... Afinal, nem ao pé do Monte Vesúvio pronto pra explodir eu tomaria mais alguma coisa naquele lugar.
Claro, a tia era escolada nos turistas que se viam num verdadeiro trabalho de parto pra por prá fora as "delícias exóticas" que insistiam em comer... Na cola dela entraram dois negrões, mas negrões mesmo, um misto de Terry Crews com Anderson Silva e uma pitada de vontade de zuar o paulista. Os caras chegaram, chegando, e eu (não me entrego fácil!) e já me armei pra sair no braço com os dois leões de chácara...
Pra minha surpresa foi muito mais fácil do que parecia. Em menos de 4 segundos, estava eu cheio de lágrimas nos olhos, tomando aquela poção mágica e dizendo aos negrões: Desculpa aí, foi só o desespero... No que eles me olhavam e nem falavam nada.
Tomei o bagulho que miraculosamente aliviou em 20% as contrações e parecia que havia aberto espaço para que os gases fluíssem com mais liberdade. E pode por liberdade nisso! Não tinha aviso, nem mesmo aquela pressão básica que diz: Tô chegando! E você se prepara pra deixar ele por aí, num ambiente onde você teve tempo de ver a saída mais próxima. Do jeito que vinha passava direto, nem a bermuda florida que adquiri pra curtir a praia amenizava a coisa, graças ao potente "resolvedor de problemas" da tia. É, você está rindo, mas quando eu falei que não tinha aviso eu não estava brincando.
Bom, Salvador, praia, hotel, tudo pago... Vou aproveitar e pôr o corpo em dia (pelo menos por fora...).
Adotei o step, falei pra todos do hotel que ia fazer step todos os dias, duas ou três vezes por dia, passei a subir e descer do hotel pelas escadas, por puro medo de estar com alguém no elevador. Chato era quando eu pensava no alívio reservado, parava entre o quinto e o sexto andar onde o ar circulava com mais facilidade e relaxava, no meio do descarregamento aparecia a porcaria do gerente que ficava o dia todo olhando tudo e todos... Claro que ele passava e muito educadamente me comprimentava, mas eu cheguei a ver lágrimas nos olhos dele enquanto acelerava o passo pra passar logo por ali.

O Inferno de lava - Parte 02
Certo que durante uns três ou quatro dias evitando os excessos e com o exercício diário fui ficando melhor. Abusado como sempre, achei que não tinha nada demais ir comer um acarajé num local tradional e lá fui eu com a cara e a cara, porque a coragem devia estar flutuando entre o quinto e o sexto andar do hotel. Cheguei num local, indicado pela minha salvadora, a tia de 875, que se chamava Deolinda. Sentei lá e mandei um acarajé, QUENTE. Rá! Sou cabra macho, adoro pimenta e não ia deixar de experimentar uma pelando de quente.. E foi com essas palavras que pedi aquela delícia, claro, as baianas todas se entreolharam, não estavam muito propensas a acreditar em um branquelo (É! Em Salvador sou quase alemão...) metido numa bermuda tipicamente de turista que tava lá cheio de marra, pedindo um acarajé pelando de quente... Então tá, pediu, elas fazem...
O lugar tava apinhado de gente... 78,47% de mulheres, confesso que fiquei puto porque não tinham me dado essa dica ainda. Ficaria muito mais se tivessem dado porque, na situação debilitada em que eu me encontrava, só me faltava uma pessoa pra sair bradando pra toda a cidade que eu estava em plena erupção...
Bom, chegou o acarajé, enorme... Tinha um camarão em cima que parecia de plástico de tão grande. Lá nos meus pensamentos: Aí, hein? Perdeu a vez pro Sebastião com a pequena sereia... E no silêncio que se seguiu fiz uma oração pelo pobre enfeite e tratei logo de apreciar a comida.
Tava pelando! Foi como beber lava direto na fonte, a iguaria começou a queimar a uns 10 centímetros antes de eu pôr na boca e de lá em diante foi só fogo. A pimenta era forte de um jeito que, mesmo eu lá fazendo pose de mal, as lágrimas que brotaram dos meus olhos não enganavam ninguém. Vi um riso aqui outro ali, mas mandei tudo prá dentro e ainda sorvi o camarão com gosto. Gente besta eu conheço pelas atitudes e ali, dentro do quiosque, não tinha uma maior que um paulista, trajando roupas de turista e todo metido a besta com dedão levantado dizendo: Veja mais uma dessa pra mim, por favor, mas, por favor, capricha dessa vez!
Meu, tá louco? Esse foi o pensamento, mas minha boca é 400 vezes mais rápida que meu cérebro, já tinha pedido, alto, talvez, inconscientemente tentado arrebanhar um pouco de respeito pra mim, pela moral da minha cidade e por todos os meu conterrâneos. Trinta segundos foi o que demorou pra chegar a resposta de Salvador para São Paulo. E lá estava eu com um sorriso amarelo (amarelo pimenta, claro...) na cara olhando um acarajé que era muito maior que o outro, e no meu íntimo eu pedia a Deus que naquele dia, os pescadores tivessem pegado os maiores camarões da vida deles. Mas quem eu queria enganar? O primo do Sebastião era do mesmo tamanho, monstruoso, e o acarajé muito, mas muito mais monstruoso ainda e, com a certeza dos que vão morrer de véspera, a pimenta deveria estar na mesma proporção.
Maldito dedo e maldita boca. Onde já se viu dizer pra mulher caprichar DESTA VEZ! Você é burro demais, JP! Vai sair daí com os intestinos num copo descartável. Eu não sou de crer em fantasmas e espíritos, mas desta vez tive uma visão e uma certeza. Lá pela metade do acajaré eu vi meu espírito sair do meu corpo, sentar na cadeira de frente pra minha com um olhar de reprovação. Aí tive certeza que se eu morresse iria assombrar aquela maldita cozinheira e mais, iria impedir a entrada dela no céu por tentativa de assassinato. Lá estava eu, cheio de lágrimas nos olhos, mastigando com todas as forças e rindo, mas uma risada louca, de quem não tem nada a perder ou não tem mais nada o que fazer nessa vida. Era o fim que se aproximava e uma vozinha ficava dizendo na minha cabeça: Mata ela, mata ela!!! Deve ser assim que o Coringa vê o Batman, ou, sei lá...
Comi, sai cambaleando pela rua. Pra minha sorte o hotel ficava relativamente perto, mas como meus "interiores" estava se liquefazendo, resolvi ir de táxi. Baixei a guarda duas vezes. Na segunda, o taxista parou e me mandou descer do carro. Nem quis saber do dinheiro dos 200 metros que ele tinha andado! Tava anestesiado, mas pude perceber que eu quase causei perda total no carro do cara. Ainda fiquei bem pouco feliz em saber que além da queimação, da sensação de que eu viraria uma poça de pimenta no meio da avenida, os bons e velhos gases estavam de volta... Corri em direção ao hotel, tinha que encontrar a Deolinda, me postar aos seus pés e pedir por todos os santos do céu e da Bahia que me ajudasse. Cheguei na entrada do hotel e a vi, indo em direção ao fundo, disparei em sua direção e, em alguns segundos, não vi mais nada...

Arrebatamento e vergonha - Parte 03
Acordei deitado num quarto, numa cama, de roupão e cuecas, de banho tomado e havia uma senhora sentada perto. Quando me movi ela levantou os olhos na minha direção, sorriu e perguntou se eu estava melhor. Disse que achava que sim, mas não tinha certeza de nada ainda. Por uns 5 minutos fiquei feliz de saber que o céu não era um lugar tão ruim. Pelo que eu tava vendo era sim um grande hotel 5 estrelas e os caras lá colocavam até os espíritos mais velhos para cuidar das pessoas que lá chegavam. Mesmo triste por ter deixado na terra pessoas que me são caras, alguns que amo incondicionalmente e não pude me despedir de nenhuma delas, sentia uma sensação de alivio, de bem-estar, era como se eu ainda me sentisse preso às lembranças do passado, mas agora num nível de compreensão muito superior e isso com certeza se dava pelo clima ameno do ambiente e a paz que reinava naquele dia de calor gostoso.
Tentei me redimir de algumas bobagens que fiz e de muitas que falei, afinal, como eu havia despertado, logo estaria diante do chefe, do ser superior que havia criado o céu e a terra e dado a vida para que todos pudéssemos desfrutar dela com alegria e esperança. Sentia uma sensação estranha, mas ao mesmo tempo, essa dor que pertencia muito mais os espíritos não-evoluídos (onde eu acredito que me encaixo), me causava alívio. Me sentia cada vez mais leve e sereno.
Houveram vários ruidos ao longe, de um salto a senhora se pos em pé e caminhou em direção a janela, eu sentia pela vibração do ambiente, não só do ambiente, mas do mundo que nos cercava que era sinal algo muito grande e muito poderoso se aproximava. Senti medo, eu sabia que não ia ser fácil, passei uma vida toda desgarrada, vendo apenas os prazeres e não havia contruído nada, não segui as leis e muito menos fiz qualquer coisa que eu pudesse usar agora no afã de me defender duma possível punição.
Percebi que a senhora havia ficado um tanto agitada e que passara a andar de um lado para o outro do quarto. Esse era um sinal claro que ali seria o ponto onde toda a energia que se deslocava devagar iria parar. Minha maior frustração foi descobrir que nem naquele momento de medo eu era não capaz de rezar ou não sabia mais como rezar. A senhora me olhou candidamente nos olhos e disse: Você está bem, meu filho? Diante da minha afirmativa ela disse que havia chegado a hora de me deixar só, que afazeres muito mais importantes lhe aguardavam. Eu pedi a benção e lhe agradeci pelo carinho e pelos cuidados. Quando eu ia me preparar para dizer algumas palavras bonitas, ela simplesmente me deu as coisas e saiu, quase correndo, o que fez com que meu medo aumentasse. A energia que emanava por esse mundo crescia assustadoramente e eu vi com meus próprios olhos que até os espíritos mais velhos temem essa situação. Me ajoelhei, pedi pela minha alma, por todos os meus entes queridos que estavam ainda na terra e busquei uma posição de dominado, eu não queria enfrentar os olhos de fogo do criador do céu e da terra.
Busquei no meu íntimo por algo que poderia me salvar e implorei a essa energia que me dissesse algo que apaziguasse meus medos. Foi quando ouvi uma voz longe que dizia: Avisou, avisou... E vai rolar a festa, vai rolar.. o povo do beco mandou avisar...
Achei que tava ficando louco, mas eu podia jurar que Deus tinha a mesma voz da Ivete Sangalo. Corri pra janela, olhei pra fora e constatei que não era só a voz não. Deus era Ivete Sangalo!!! Claro! Explicava o porquê daquele sucesso todo, mas não amenizada em nada minha situação, achei que Deus, por ser mulher, ia aplicar a psicologia feminina nos meus erros e, aí sim, eu tava fodido! Fiquei atônito, pensei em partir pro outro lado, tive a intenção de rezar para o diabo para que ele me arrebatasse dali, porém logo me veio à cabeça que se no céu quem manda é a Ivete Sangalo, no inferno seria a Cláudia Leite!!! Cacete!!! Qual seria o órgão divino que o Carlinhos Brown tomava conta? Claro que não seria a minha salvação, mas quem sabe a solidariedade masculina fosse algo que viesse das divindades... Entrei em choque e caí sentado. A dor no cóccix me trouxe de volta. Céu o cacete! Eu tava em Salvador ainda, no meio de uma das maiores festas populares do planeta, no meio do Carnaval Baiano... E logo ali, a treze andares e uma entrada de distância (Ah! Eu não disse que tava no 13º andar???). Logo me dei conta que tava com uma faixa na cabeça e lembrei que, no momento de desespero, atravessei a porta de vidro do hotel com a cara e, claro, só posso ter desmaiado. Olhei pro calendário e vi que tinha se passado uma semana. Certamente fiquei desacordado esse tempo todo. Não podia??? Paguei pra viajar, me divertir e não por sonoterapia.
Tentei colocar a cabeça no lugar e sentei numa poltrona próxima. A dor foi tão lancinante que não tenho como descrever. Olhei pra baixo e vi, entrando em mim, uma sonda (que se assemelhava a uma mangueira de incêndio...) que era presa com esparadrapos. Dessa vez que me afastei e sentei, as porras dos esparadrapos resolveram todos descolar de uma vez, feito depilação, mas na região em que ele se encontravam a sensibilidade é maior... Quase chorei.
Me acalmei quando a senhora que estava no quarto retornou e disse pra ela que estava confuso e perdido nos acontecimentos. Ela se sentou, pegou na minha mão e disse:
- Rapaz, você ficou desacordado por uma semana, quebrou o vidro do hotel, agarrou a Dona Deolinda pelo pescoço e gritava dizendo que só ela podia te salvar. Os seguranças acudiram, mas você estava tão fora de si que quebrou quase toda a recepção do hotel, foi preciso a polícia para detê-lo. Depois você passou mal e foi levado ao hospital. Pra sua sorte, o médico que te atendeu é NETO da dona Deolinda e constatou logo que você estava com entupimento retal e tratou de pôr uma sonda pra te aliviar (Aliviar? Sei...). O povo do hotel te trouxe de volta e desde esse dia você está aí desacordado.
Eu não acreditava no que tava ouvindo, fui viajar pra fugir da loucura do dia-a-dia e fiz só loucura... Se tivesse um buraco eu enfiaria a cabeça lá e não sairia mais! Cada nova informação que essa tia me dava, mais eu sentia vontade de sumir da terra.
Terminou o diálogo dizendo:
- E agora você me dá licença que já passei tempo demais cuidando de doido.
Acho que nunca senti tanta vergonha na vida. Logo eu, que sou um cara centrado, que busca passar discretamente pela vida, fiz coisas que jamais imaginei.Dei sorte de não ser internado como louco e extraditado pra São Paulo. Assim que a senhora saiu, tratei de ligar na companhia aérea e marcar minha passagem de volta para duas horas depois, pedi o fechamento da conta do hotel, fiz as malas e saí de fininho, descendo pela escada e pela entrada de serviço. Prometi pra mim mesmo que nunca mais volto lá e nunca mais viajo sozinho pra lugar nenhum.
Cheguei no aeroporto, fiz o check-in e ouvi uma voz que me disse: "Esperamos que tenha apreciado sua estadia em nossa cidade e aguardamos ansiosos a sua volta. Tenha um bom vôo!"
Estadia??? Minha volta??? Nunca mais! Hehehehehehehehe.