quarta-feira, 30 de março de 2011

Socorro Freud!!!!!


Ah entendi!!! Vocês acharam que o post anterior só tinha flores, né? Bom, na verdade, eu ia omitir o restante dessa história. Eu não tenho vergonha de nada do que fiz, passei ou qualquer coisa assim, acho que na vida a gente tá sujeito a tudo... Mas essa história, em especial, eu procuro omitir até pra não abrir feridas psicológicas...
Vamos ao fato:
Aí o gaivota sumariamente eliminado e os restantes ficaram avisados que o páreo aqui é duro, afinal faço parte dos 10% dos humanos que usa o cérebro e não a força bruta pra resolver pequenas questões. Fiquei lá de boa, beijinhos, afagos, boa conversa e o melhor... Tava na cara que a noite ia ser começar na horizontal e sabe-se lá onde ia parar... Pena que não havia um exemplar do Kama Sutra por perto... Essa era a hora de certificar a verdade da coisa.
Tudo tava bom demais. Até que a moça resolveu ir ao banheiro. Foi e não voltou mais. 10, 15 minutos, 20 minutos e nada... Uma outra moça, desta vez do grupo dela, me perguntou onde ela estava e eu disse que tinha ido ao banheiro e não tinha voltado... Ela decidiu ir ver... Voltou uns 5 minutos depois, olhou bem nos meus olhos, e disse: ela disse pra vc ir lá...
Cacete! Isso sim é modernidade! Claro que dentro do bar, mais precisamente no banheiro do bar, não ia rolar, se bem que podia ser e eu até vendia a história pros caras do Matanza pra eles musicarem. Hehehehehe! Fui lá, meio receoso de entrar no banhero feminino e, claro, tinha logo um segurança nas imediações. Rondei, rondei, rondei. Não tinha jeito. Ou eu dizia logo que ia entrar e via o que dava ou então... Sei lá! Claro que o cara não era bobo, vendo minha indecisão, tratou de me informar que o banheiro, até as pias e o espelho eram de uso comum e que só eram privativos as partes mais, digamos... fluídas, pertinentes a cada sexo.
Ahhhh!!! Agora entendi porque não tinha plaquinha com meninos e meninas, disse eu... E entrei no banheiro, chiquérrimo por sinal, dava pra deitar ali no chão, rolar de ponta a ponta e sair mais limpo do que entrou. Fiz uma vistoria básica pelo local e vi que ela tava bem ali num canto, sentada numa poltroninha (poltroninha??? No banheiro???) cheguei perto, passei a mão pelos cabelos dela e me aproximei...
A mulher tava aos prantos... A maquiagem dela certificava que era a vez dela de gravar um clip do Dimmu Borgir ou do Immortal (tava mais pro último...), soluçando e as lágrimas desciam que nem chuva de verão. Já me dei conta do porquê de tudo... Doida!!! Alucinada! Com um pouco de sorte tinha deixado o prozac ou o crack em casa e tava tendo uma crise de abstinência. Mas, como mesmo nesse estado deplorável, era uma mulher linda e se eu conseguisse enfiar um lexotan na goela dela (eu já tinha certeza que ela tinha ele na bolsa...) pelo menos a parte que interessava, mesmo deixando pra lá o Kama Sutra, tava garantida.
Fui extremamente gentil, afinal não é só porque eu presumo que uma pessoa é doida que ela é, não costumo errar (meus relacionamentos anteriores provam que sou PhD em doido...), mas sempre dou uma chance... Tentei conversar, chegar na questão ou sei lá.. fazer ela calar a boca e ir logo pro sexo propriamente dito. Vai chorar feio assim no inferno! Era um misto de desespero, filme de terror, um rolê na montanha russa e riso de hiena... Chato nem é ouvir isso tudo saindo de uma pessoa só, chato é ver que todos os seres entram e te olham com aquela cara de: Sem vergonha, comeu e agora quer dispensar! Comer eu ainda não tinha comido (e nem sabia se ia...), dispensar também não, se bem que com essa demonstração de "equilíbrio emocional" essa era uma realidade muito próxima (na manhã seguinte, mais precisamente...); mas sou homem, homem suficiente pra não estar nem aí com caras e pensamentos errôneos, quem quiser que pense o que quiser, tô nem aí!
Em meio aos soluços, descobri que tudo aquilo era porque eu havia tirado o Gaivota da situação e ela havia se sentido protegida e que isso nunca tinha acontecido, que todos os homens que a cercavam eram uns babacas, que não tinham postura e saiam pra porrada numa situação dessas... Fiquei lisonjeado, claro, ainda mais que agora EU ESTAVA NO TOPO DA CADEIA ALIMENTAR!!! Tinha abatido um monte de Gaivotas com uma pedra só!!!
Saímos do bar e fomos em direção à casa dela, por sinal bem ali do lado, uns 200 metros... Era um apartamento bem legal, bem decorado, limpo e tudo que você jamais sonha achar na casa de um pessoa solteira. Só que lá, no território dela, o mundo desabou, um verdadeiro tsunami de emoções fortes, histórias de vida, passagens da vida dela que pareciam saídas dos contos das mil eu uma noites... E o sexo??? Nada??? Eu não sabia se ficava parado ouvindo, tentando entender o que se passava naquela cabeça ou se ia direto pro ataque.. Eu já tava lá mesmo, semi-nu, de banho tomado (não pense que parou de falar só porque eu tava no banho...), perfumado, hidratado e tudo mais.. E nada.. Nada... De verdade eu tava meio sem jeito de ir pro que interessa, já que uma boa soma das histórias eram sobre os "cafajestes que só querem uma coisa". Porra!!! Não sou cafajeste, mas to com o mesmo pensamento de todo mundo... Dá pra ir logo com isso??? Se a coisa for boa, vamos ter muuuuuuuito tempo pra conversar, pensar sobre tudo e ainda não perder tempo com futilidade... Mas agora o atrito carnal era imperativo, afinal eu era o salvador, o cara que tratou ela direito e mais ainda... Onde ela se sentia protegida!!! (é... acho que sou cafajeste...).
Mas nada! Ficou nessa ladainha até sabe-se lá que horas... Fui embora eram umas 10 da manhã e com excessão do banho e de um sexozinho meia boca, mais por obrigação do que por prazer, e de uns 50 minutos de sono profundo, sai do mesmo jeito que entrei. Aquela sensação de bem estar depois de uma noite legal, com uma pessoa legal e de um sexo LEGAL, não existiu... Se existiu, ficou lá no banheiro do bar (a melhor lembrança que tenho daquela região...)
Pelo menos fiz o favor de não deixar o telefone de contato... Tenho no msn porque em meio às lágrimas ela me adicionou lá... e, às vezes, a gente se fala, mas não passa disso... E dada a experiência, melhor deixar como está...

5 comentários:

  1. Faz o seguinte: coloca o link pra esse post na cabeça do seu msn... aí eu quero ver jorrar um turbilhão d eemoções sinceras por vc... kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Nem dá.. nem uso mais msn....

    ResponderExcluir
  3. Hahahahaha! Que cruel a dica da Laryssa! Eu ri! Putz!

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    eu preciso dizer que a moça estava te testando!!! para ver se vc ía deixar o tel depois da NOITADA que tiveram...


    hsiauhsiuashiuashiusha

    bjs

    www.programaestressadas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    :D

    Homens...rs..rs

    Mto engraçado seu blog...

    ResponderExcluir